CIA DA NOTÍCIA

A (boa) interação entre o público e o privado

WALMIR-ROSÁRIO-FOTO-WALDYR-GOMES1-150x150Walmir Rosário*

Em tempo de recursos cada vez mais escassos, só resta aos municípios brasileiros buscar novos paradigmas de administração pública. Há muito não se consegue junto aos governos Federal e estaduais recursos suficientes para atender as necessidades mais prementes dos municípios, com responsabilidades crescentes no atendimento à população.

Aquele modelo de simples crescimento, calcado na implantação de obras sem planejamento não mais funciona hoje. A população, embora cada vez mais pobre e sem perspectivas, possui modernos instrumentos de comunicação rápidos e eficientes: as chamadas redes sociais, disponíveis em qualquer smartfone conectado a internet.

E o avanço tecnológico provocou uma mudança comportamental em toda a população, sem distinção da sua estratificação econômica e social. Determinada pessoa pode até não saber analisar determinada situação de forma pedagógica, mas tem o conhecimento do fato e sua metodologia de discernimento é o caixa do supermercado.

Daí, o cuidado redobrado do governante em mudar seus conceitos: ao invés do simples e atrasado crescimento, terá que perseguir o desenvolvimento, adotando o planejamento municipal e não só o das finanças, como sempre aconteceu. Qual a cidade que queremos, quais os recursos que dispomos e quais as nossas prioridades?

Tudo isso deverá estar contemplado no Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) como linha mestra a ser seguida. Para elaborá-la, ou reformá-la, precisamos do apoio de técnicos especialistas em cidades e vontade política de executar suas recomendações, transformadas em lei balizadora do zoneamento urbano.

Agora, passados 10 anos da aprovação do Plano Diretor Urbano Municipal, é hora de recolocar Canavieiras no caminho do desenvolvimento, com propostas dentro de novas perspectivas. Para tanto, é primordial instrumentalizar o processo com uma política urbana concreta, baseada na vocação econômica e nas possibilidades futuras.

E parceiros para essa monumental empreitada não faltam. Temos hoje na região a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), com conhecimento acumulado sobre nossos municípios, e a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), com uma proposta acadêmica diferenciada, o que a permite atuar de acordo com a realidade local.

Abrindo um parêntese, essa é a segunda grande oportunidade de Canavieiras integrar o rol dos municípios turísticos de fluxo perene. O primeiro foi o Projeto Canes (Complexo de Atividades de Natureza Econômica e Social), elaborado em 1990 pelos urbanistas André Sá e Francisco Mota e o economista Paulo Gaudenzi.

Nas ações complementares ao projeto Canes, a desapropriação de áreas no centro e na Ilha da Atalaia, para a implantação de hotéis, pousados e cabanas de praias padronizadas, bem como unidades residenciais. O Projeto Canes foi o primeiro grande vetor do desenvolvimento turístico de Canavieiras, proposta era a de transformá-la numa cidade que conseguisse reunir todas as condições de oferecer ao turista uma hospitalidade de primeira linha.

O Projeto Canes contemplava todos os segmentos empresariais – grandes, médios e pequenos – e foi lançado com uma ampla campanha de marketing, que tinha como slogan: “Canavieiras para todos, Canes para os íntimos”. Não bastava apenas implantar as ações para estimular a vinda dos empreendedores, mas que eles fossem diversificados e capazes de atender todas as demandas das alta e baixa temporada.

Passado o mandato, o sucessor não prosseguiu com a mesma política de atração de empreendedores, em especial para o segmento turístico, implantando-os em áreas especiais. O planejamento deu lugar ao achismo e Canavieiras perdeu, à época, uma grande oportunidade de se consolidar como um polo turístico perene.

Proferindo palestra no 3º Congresso da Ampesba, em Itabuna, o prefeito Almir Melo ressaltou que não basta a uma cidade explorar o turismo com as belezas naturais, sem uma completa infraestrutura pública e privada. No entender do prefeito, o turismo deve ser visto e praticado de forma integrada, do contrário ele não voltará e nem indicará aos amigos.

Para tanto, é preciso elaborar um calendário de eventos – fixos e móveis e eventuais – que agrade às mais diferentes culturas, ser hospitaleiro, dispor de boas acomodações e excelente gastronomia e capacitar mão de obra. Além de tratar bem o turista, a cidade deve transmitir confiança nos serviços públicos, como saúde e infraestrutura.

Agora, com a possibilidade de revisão do PDDU, Canavieiras poderá ser a “bola da vez”, com a oportunidade de elaborar um planejamento com técnicos de reconhecida competência, com respaldo das academias. E, de novo, a ocasião poderá reunir o economista Juvenal Maynart, especialista em planejamento de cidades e o Magnífico Reitor Naomar Monteiro Almeida Filho.

Não é por acaso que o destino – ou as oportunidades – conspiram a favor de Canavieiras. Enquanto Juvenal Maynart poderá contribuir com a condução dos trabalhos de planejamento, o reitor Naomar Monteiro terá o condão de implantar o Colégio Universitário, proporcionando a geração do conhecimento que a cidade necessita para promover o desenvolvimento.

Desenvolvimento, e não o simples crescimento baseado em alguns números e estatísticas, é o que nossas cidades precisam para promover oportunidades a todos os segmentos sociais. No caso de Canavieiras, o turismo que se avizinha é o da melhor idade e ecumênico, bastando, apenas que a cidade ofereça todas os serviços que esses turistas se sintam em casa.

É apenas uma questão de vontade política e inteligência para aglutinar o interesse dos diversos segmentos econômicos e sociais na forma de investimentos públicos e privados, com a política e a economia sendo colocada a serviço do povo. Isto demonstrará o amadurecimento da sociedade local, com um novo olhar sobre a cidade, abandonando velhos hábitos políticos e privilegiando Canavieiras como ente federativo.

* Jornalista e advogado

Semana Espírita tem como tema a “Paz, o Sublime Legado do Cristo”

O Instituto de Cultura Espírita de Itabuna (Icei) realizará de 22 a 29 de maio, a 46ª Semana Espírita de Itabuna tendo como tema central a “Paz, o Sublime Legado do Cristo”. O evento, que tem o apoio da Federação Espírita do Estado da Bahia (Feeb), será aberto ao público e concentrará sua programação na sede do Icei, localizado à rua Allan Kardec, 101, Jardim Italamar (em frente ao colégio Ciomf).

As palestras iniciarão sempre às 19h30min e serão precedidas por uma apresentação artística. No próximo domingo (22), na abertura, falará o presidente da Federação Espírita Brasileira, Jorge Godinho, do Distrito Federal, com a palestra “Para viver em Deus”. Na segunda-feira (23), Ricardo Ferreira, de Vitória da Conquista, abordará “Potências da Alma: conhecer para saber utilizar”.

Para a terça-feira (24), o professor itabunense Ary Quadros Teixeira, falará sobre o tema: “Pacifica, pacificando-te”. E na quarta-feira (25), o evento tem sequência com a palestra “Diálogo em família, o grande agente da paz”, que será proferida pelo professor Lindomar Coutinho, presidente do Centro Espírita Porto da Esperança, em Ilhéus.

“Um tributo à paz” é o tema da palestra que dá prosseguimento ao evento na quinta-feira (25), com a cantora e psicanalista paulista Margarete Áquila. A programação segue na sexta-feira (27), com o professor da Uneb, Cláudio Amorim, que falará sobre a “Paz social e movimento Espírita”.

No sábado (28), é a vez de Jorge Elarrat Canto, Secretário de Planejamento da cidade de Porto Velho-RO, que abordará o tema “Paz, o caminho da felicidade”. E finalizando, no domingo (28), o psicólogo pernambucano, Sílvio Romero, discorrerá sobre o tema central do evento: “Paz, o sublime legado do Cristo”.

Como acontece tradicionalmente, serão realizados cinco seminários: o 1º na manhã de quinta-feira (26), – Ações de paz aplacando a violência urbana – tendo Patrick Pires, Promotor de Justiça em Itabuna, como facilitador. O 2º e o 3º serão realizados na tarde de sexta-feira (27) – Saúde mental e transtorno bipolar, psicoses – Margarete Áquila, como facilitadora e – Tensões emocionais – medos, dores e perdas – e Jorge Elarrat como facilitador.

No 4º Seminário, na manhã de sábado (28): “Religiosidade e Espiritualidade – antídoto às dores da alma”, terá Cláudio Amorim como facilitador. E na parte da tarde o 5º seminário: “Valorização da vida, dependências químicas e suicídio”, com Silvio Romero na direção. A novidade da programação é uma “Roda de Conversa”, na manhã de domingo (29), com a participação dos palestrantes do evento: Ary Quadros, Cláudio Amorim, Jorge Elarrat, Lindomar Coutinho, Margarete Áquila, Patrick Pires e Silvio Romero.

A programação prevê ainda de 22 a 28 a realização da 15ª Semaninha Espírita de Itabuna, para crianças de 5 a 12 anos e o 4º Encontro com a Juventude, de 26 a 28, para jovens a partir de 13 anos, com o tema: “Arte, a divina mensageira da paz!”, que terá como facilitadores: Lino Costa e Diego Costa, ambos da Bahia.

Principal evento do calendário de atividades espíritas da região, pela qualidade dos palestrantes e temas abordados, a Semana Espírita de Itabuna atrai, a cada ano, moradores de Itabuna e cidades da Região, ávidos por respostas a questionamentos do tipo: Quem sou? O que fui? E para onde vou?

O ICEI informa que o acesso, como de costume, será franqueado ao público de maneira geral. Informações complementares pelo telefone (73) 3212-1829 ou acesse o site: www.icei.org.br

Redescobrindo o Sul da Bahia

WALMIR-ROSÁRIO-FOTO-WALDYR-GOMES1-150x150Walmir Rosário*

Em meio à inundação de notícias desconstitutivas sobre o Brasil como um todo, começamos a vislumbrar que a região do cacau, finalmente, começa a nos mostrar alguma coisa de boa, útil e produtiva. Trata-se da implantação da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) na área Ceplac, às margens da Rodovia Jorge Amado.

Finalmente, a razão, a inteligência e o bom senso conseguiram superar o atraso, o corporativismo maléfico, o provincianismo, as ideias retrógradas, a pequenez e o atraso. E essa tomada de atitude posso credenciar, principalmente, ao então Superintendente de Desenvolvimento da Região da Cacaueira do Estado da Bahia (Sueba), Juvenal Cunha Maynart, e o Magnífico Reitor da UFSB, Naomar Monteiro de Almeida Filho.

É a produção de ciência, de conhecimento, implantada no mesmo local que, por décadas, pesquisou e entregou à Nação Grapiúna todo um pacote tecnológico de desenvolvimento. Concebida num tripé de pesquisa, extensão e ensino, a Ceplac foi além de sua proposta inicial de prestar serviços financeiros aos cacauicultores e transformou a socioeconomia regional numa das mais eficientes do Brasil.

Não se conhecia no final da década de 50, toda a década de 60 e 70 região com uma infraestrutura igual ao Sul e Extremo Sul da Bahia. De repente, da luz do candeeiro passamos à energia elétrica; do transporte ao lombo de burros às boas estradas; das demoradas cartas ao telefone e telex; da economia precária à retomada do crescimento agropecuário e comercial.

Tudo isso foi possível com o trabalho eficiente dos técnicos da Ceplac, liderados por Carlos Brandão e José Haroldo Castro Vieira, Paulo Alvim, dentre outros. Com o passar dos anos, a Ceplac se consolida como instituição científica, muda conceitos e costumes. Como toda grande instituição, sofre com as ingerências, seu técnicos se acomodam. Um novo despertar chega com a terrível descoberta na vassoura-de-bruxa nos cacauais do Sul da Bahia.

A partir desta época, a região já carecia de lideranças capazes de aglutinar os segmentos políticos e produtores em torno de uma projeto inovador eficiente. Mesmo assim a região soube sobreviver, agora com a capacidade da iniciativa privada, formada por um novo perfil de cacauicultores, preocupados com os investimentos realizados.

Essa dicotomia permaneceu até a chegada de Juvenal Maynart à Superintendência Regional, apresentando propostas inovadoras, o que causou um certo desconforto em um grupo de servidores e a sensação de alívio para os produtores de cacau. Nada que não fosse possível administrar com o aparecimento dos novos resultados positivos.

A proposta do novo superintendente era bem simples e se calcava em premissas conhecidas no agribusiness internacional que pretende produzir com eficiência, conviver pacificamente com o meio ambiente e agregar valores ao seu produto. Essa inovação aqui já é considerada uma prática vitoriosa em grande parte do mundo.

Preserva-se o que tem, amplia-se a produção com produtividade, evita-se o ataque de pragas e doenças e promove uma defesa fitossanitária eficiente para o aparecimento de novas endemias. Entretanto, essas ações somente serão possíveis a partir do momento em que a agricultura e a ciência caminharem juntas para oferecer um produto inovador ao mercado.

E essa moderna concepção de produção só conseguirá atingir o seu alvo a partir do momento em que a ciência possuir todos os meios de transferir esse conhecimento ao produtor. Tão importante quanto a descoberta de novas tecnologias é saber “vendê-las” a um mercado ávido para “comprá-las”. E aí é que reside o nosso “calcanhar de Aquiles”.

Mesmo com toda a transferência de tecnologia já feita por instituições como Ceplac, Uesc e empresas privadas, os nossos agricultores ainda carecem, e muito, dessas ferramentas para trabalhar. Uns não têm capacidade de contratar recursos, outros não acreditam nessas inovações, e um grupo maior sequer tem conhecimento das novidades.

Daí que acredito ter sido o magistral o salto de qualidade da gestão de Juvenal Maynart na Ceplac ao abraçar e propor parceria à Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Outras existem, mas a UFSB apresenta uma proposta inovadora, que não basta fazer ciência, mas apresentar o conhecimento para todos, com uma metodologia diferente.

A UFSB, nos moldes pensados sob a liderança do Professor doutor Naomar Monteiro de Almeida Filho, oferece o conhecimento e a ciência para todos, mas prima pela formação de acadêmicos entre a população das várias cidades onde atua. Isto, sim, é a universalização do conhecimento, mudando o conceito de cidade dormitórios para estudantes.

A partir da implantação desse conceito, teremos em praticamente todos os municípios uma massa forjada na academia com capacidade de enfrentar os desafios e superar as velhas dificuldades. Na área esvaziada da Ceplac passaremos a contar com parque tecnológico atuando em quatro vertentes – Tecnologia da Inovações; Biotecnologias em Alimentos, com ênfase em cacau e chocolate; Logística, e Agroflorestais.

Nas cidades onde estão sendo implantados os Colégios Universitários, os alunos poderão cursas as matérias gerais, agora sem o esforço de enfrentar intermináveis e cansativas viagens de ônibus, o que facilitaria o aprendizado. A população como um todo ganharia, de imediato, na qualidade dos serviços, e no futuro, de uma grande massa pensante capaz de transformar a realidade.

A grande sacada é que em cada um desses colégios deverão ser implantados cursos que completem a vocação da cidade, dentro de diretrizes que apontam as matrizes econômicas e sociais de desenvolvimento. Essa simbiose entre as ações governamentais, academia e iniciativa privada darão direcionamento às atividades de pesquisa, extensão e ensino.

* Advogado e jornalista

ÁGUA CHEGADINHA NO SAL EM CANAVIEIRAS

Se continuar assim, só falta o caranguejo acompanhar a água salgada

Caso o meu sabonete não tenha vindo com defeito de fabricação, caso os choques dados pelo chuveiro não sejam apenas um pequeno curto-circuito, caso o meu paladar não tenha sofrido um problema qualquer, a única explicação que tenho é que a água distribuída pela Embasa em Canavieiras está muito salobra, ou seja, chegadinha no sal, como dizem os chefes de cozinha.

Após sete meses sem chuvas para elevar o lençol freático e sem chuvas torrenciais nas cabeceiras do rio Pardo, lá pras bandas de Minas Gerais, a cidade volta a padecer com a água distribuída com forte influência da maré. Não chega, ainda, a lembrar aquela servidas meses atrás, mas está se chegando pro gosto salobro com lembranças de sal.

Nada que lembre a inimitável água distribuída em Itabuna, mas se duvidar…

 

Convivência institucional

Delegados baianos do PMDB

Delegados baianos do PMDB

Delegado estadual com direito a voto do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), Almir Melo foi a Brasília cumprir sua obrigação e votar pela independência do seu partido em relação ao Governo Dilma Rousseff. Votado por aclamação, o PMDB se afasta do Partido dos Trabalhadores (PT) e apoia o impeachment.

Nas últimas eleições (2014), Almir Melo apoiou o candidato ao Governo da Bahia, Rui Costa, quando ainda se encontrava com 4% nas pesquisas, embora o PMDB estivesse coligado com o DEM, que tinha candidato a governador. À época, Almir Melo apoiou os candidatos do seu partido – Geddel Vieira Lima ao Senado, Lúcio Vieira Lima à Câmara Federal, e Leur Lomanto à Assembleia Legislativa, sem qualquer constrangimento.

Agora, Almir Melo votou contra a permanência do PMDB junto ao Governo Dilma, mas espera que a convivência entre os entes federativos não sejam empecilho para institucional.

SAC Móvel atende em Canavieiras

Um grande número de pessoas é atendida

Um grande número de pessoas recebe atendimento

O Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) disponibilizou um equipamento móvel (carreta) para realizar o atendimento da população de Canavieiras, para esta segunda e terça-feira (28 e 29). O SAC é mantido pela Secretária da Administração do Estado Bahia, por meio da Superintendência de Atendimento ao Cidadão, em postos fixos e móveis em todo o estado.

Informa o prefeito de Canavieiras, Almir Melo, que uma parceria firmada entre a Prefeitura de Canavieiras e o Governo do Estado tem viabilizado a prestação dos serviços de documentação. “A Prefeitura, por meio da Secretaria da Assistência Social, faz a intermediação da elaboração das primeira e segunda vias de carteiras de identidade, que levam cerca de 15 dias para serem entregues. No caso do SAC Móvel o documento é entregue no ato”, ressalta o prefeito.

O SAC Móvel oferece os serviços de primeira e segunda vias de Carteiras de Identidade (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF), Recadastramento de Pensionistas do Estado, Antecedentes Criminais, além de críticas, denúncias, elogios, orientações, reclamações, solicitações e sugestões sobre os serviços públicos prestados pelo Governo Federal.

Para dar celeridade ao processo de montagem do equipamento em Canavieiras, o município providenciou a transferência da equipe de atendimento do SAC Móvel que se encontrava em Itapebi. “Providenciamos o transporte para que toda a equipe pudesse deixar tudo preparado para o atendimento ao público já nesta segunda-feira”, concluiu o prefeito.

Neto LX é mais uma atração no Carnaval da Reconstrução

Neto LX canta nesta segunda-feira no Carnaval de Canavieiras

Neto LX canta nesta segunda-feira no Carnaval de Canavieiras

Além das 20 atrações já contratadas para animar o 3º Carnaval da Reconstrução, o prefeito Almir Melo anunciou mais uma: o cantor e compositor ilheense Neto LX. Ele se apresenta nesta segunda-feira (8), no palanque do Carnaval Convencional implantado no Sítio Histórico, em Canavieiras.

A atração foi contratada para o Carnaval após o prefeito Almir Melo ter recebido diversas solicitações do público (nativos e turistas). “Diante das inúmeras reivindicações, entramos em contato com a produção e o cantor e conseguimos fechar o contrato”, comemora o prefeito.

Neto LX é um dos artistas que vem realizando shows por todo o Brasil, apresentando uma novo estilo musical, o Arrocha Ostentação. É assim que ele denomina a mistura baiana do arrocha e do pagode com a ideologia da ostentação do rap e hip hop americanos e do funk da baixada santista.

E essa alquimia de sons, ritmos e efeitos resultou num estilo único e moderno, consagrando Neto LX como Rei dos Paredões. Hoje, seus shows “arrastam” milhares de fãs para os palcos em que se apresenta. Em Canavieiras, Neto LX promete um show imperdível, daqueles que leva a grande plateia ao delírio.

Formato consagrado – Todos os dias de Carnaval, a folia terá início com o Carnaval Cultural, seguido de bandas que tocarão os ritmos do Carnaval convencional, como axé music, pagodão, arrocha dentre outros estilos musicais apreciados pelo público.

Nesta segunda-feira (8), animam o Carnaval Convencional as bandas Realce, Gera Samba, BBB, Tsunami e Neto LX.

barrada no baile de posse

DEU NO PIMENTA BLOG

ADÉLIA

angela sousaA deputada estadual Ângela Sousa (PSD) foi barrada na solenidade de posse da reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Adélia Pinheiro, nesta noite de quarta (3).

A parlamentar tentou usar da prerrogativa do cargo, mas não conseguiu ter acesso à sala reservada às autoridades. O cerimonial do evento não tomou conhecimento. Restou a ela ficar na plateia.

Para completar o vexame, a deputada também não foi chamada para compor a mesa da solenidade. Do evento de posse de Adélia e do vice-reitor, Evandro Freire, participaram autoridades como o deputado federal Davidson Magalhães e o vice-governador João Leão, que representou Rui Costa.

definida a programação do Carnaval da Reconstrução em Canavieiras

Um grande público prestigia o Carnaval de Canavieiras

Grande público presente no Carnaval de Canavieiras

O prefeito de Canavieiras, Almir Melo, confirmou nesta quinta-feira (21) as atrações para o 3 º Carnaval da Reconstrução, que será realizado no período de 5 a 9 de fevereiro próximo. A exemplo do ano passado, a Folia Momesca terá como palco o Sítio Histórico de Canavieiras, onde serão implantados dois palcos: um para o Carnaval Cultural e outro para o Carnaval Convencional.

De acordo com a programação, o Carnaval Convencional terá quatro bandas por noite e será iniciado às 22 horas de sexta-feira (5), com a apresentação da Banda BBB; às zero hora entra a Banda Boyzinho; às 2 horas, a Banda Império da Loira; e às 4 horas, a Banda Risco de Amar. As bandas que animarão o Carnaval Convencional utilizarão o palco implantado na rampa do Cais do Porto, no final da rua General Pederneiras.

No sábado (6), a partir das 22 horas (horário do início do Carnaval Tradicional), a Banda Pegadão abrirá a festa, seguida das bandas Afrodisíaco, Tôa-Tôa e Maria Bretheira. No domingo (7), se apresentam as bandas Love Beat, Capitão Axé, Amor a Dois e BBB. Cada uma das bandas se apresenta por duas horas.

Na segunda-feira (8), sobem ao palco do Carnaval Convencional, as bandas Realce, Gera Samba, Pra te Querer e Tsunami. Na terça-feira (9), último dia do Carnaval, se apresentam as bandas Trivelada, Selakuatro, A rapaziada e a banda BBB encerra o o 3º Carnaval da Reconstrução.

No palco do Carnaval Cultural, localizado na praça Dr. Eduardo Campos – no final do calçadão da Felinto Melo, se apresentarão Litinho e Banda, Boinha Miranda, Sambão Metálica, as bandas das filarmônicas, dentre outras. O cronograma de apresentação deverá ser conhecido na próxima segunda-feira (25).

Em qualquer das áreas em que o folião estiver localizado, poderá participar dos diferentes eventos, o que é possível com a instalação de dois PA’s (sistema de amplificação eletrônica). Com isso, todo o público poderá ouvir os shows, independentemente da sua localização no sítio da folia.

De acordo com o projeto de logística em elaboração, a entrada e saída de pessoas para o sítio da folia deverá se dar por dois locais diferentes: as ruas General Pederneiras e Marechal Deodoro da Fonseca. Também serão criados portões de serviço e emergência, com a finalidade de garantir a segurança do público.

Para manter a segurança, encontros estão sendo mantidos entre o prefeito Almir Melo, o secretário de Obras e Transportes, Lucas Rodrigues, e o comando da Polícia Militar. Nessas reuniões será elaborado um plano de segurança para garantir a tranquilidade dos foliões. Além da segurança da Polícia Militar, a Guarda Civil Municipal também trabalhará na segurança do patrimônio público 24 horas, durante todo o período da festa.

No sítio da folia também serão implantados demais serviços públicos, com o objetivo de prestar toda a atenção aos foliões, a exemplo de posto de orientação à saúde, além de ambulância. Ainda estarão no local órgãos da Secretaria da Assistência Social e da fiscalização do Código e Postura e Vigilância Sanitária.

Biblioteca Afrânio Peixoto organiza acervo e amplia quantidade de leitores

Professor Durval França Filho, diretor da Biblioteca

Professor Durval França Filho, diretor da Biblioteca

A Biblioteca Municipal Afrânio Peixoto, em Canavieiras, encerrou o ano de 2015 com resultado altamente positivo. O acervo de empréstimo está quase completamente registrado e ordenado pelos nomes de família dos autores e nas estantes por ordem de prenomes, o que facilitar a busca dos usuários.

A equipe da biblioteca está trabalhando apenas com a sala de empréstimo, por enquanto destinada a livros das mais diversas áreas do conhecimento: Ciências Contábeis, Ciências Exatas, Ciências Jurídicas, Ciências Sociais (Antropologia, Psicologia, Sociologia), Filosofia, Geografia, História, Linguística, Literatura Nacional, Literatura Estrangeira, Medicina, Religião/Teologia. O acervo desse setor é de aproximadamente 10 mil volumes.

Esses livros, registrados dentro de sua área específica, vão gerar um caderno para consulta, de forma que os usuários irão ao acervo com a certeza de que o livro existe. Cerca de 1.100 pessoas, entre estudantes de todos os níveis, pesquisadores, leitores em geral e visitantes de diversas partes do Brasil visitaram a Biblioteca Municipal, no ano de 2015.

Hoje, o autor de maior bagagem literária, entre os brasileiros, é o carioca Machado de Assis (1839-1908), com 100 volumes, seguido pelo maranhense Humberto de Campos (1886-1934), 88, e do baiano Jorge Amado (1912-2001), 50. Entre os estrangeiros, o português Eça de Queirós (1845-1900) lidera o ranking, com 83 volumes, seguido pelo francês Júlio Verne (1828-1905), 60, e pela “rainha do crime” britânica, Agatha Christie (1890-1976), com 48 volumes.

Público infantil é ampliado com contação de histórias

Público infantil é ampliado com contação de histórias

Outros nomes consagrados também aparecem, tais como: os britânicos William Shakespeare (1564-1616) e W. Somerset Maugham (1874-1965), o russo Fiódor Dostoiewski (1821-1881), o espanhol Miguel de Cervantes (1547-1616), os franceses Alexandre Dumas (1824-1895) e Gustave Flaubert (1821-1880), o italiano Alberto Moravia (1907-1990) e os regionais como o canavieirense Adelmar Santos (1933-2008).

Explica, ainda, o diretor da Biblioteca Afrânio Peixoto, historiador Durval França Filho, que a cada dia amplia o número de leitores, formado por alunos das escolas das redes públicas e privada. Outro público constante é formado pelos pesquisadores acadêmicos regionais e de outros estados, que procuram o acervo histórico da Biblioteca.

Para o professor Durval, Canavieiras tem uma história bastante rica, e como grande parte desse passado está registados nos livros e em outras publicações da época, a procura é contínua. Para ele, em plena era digital, as crianças que buscam a biblioteca também saem encantadas com os livros, principalmente os que possui bastante fotos e ilustrações, o que não deixa de ser uma curiosidade. “É só ler para crer”, conclui o professor Durval França.

Água salgada

O prefeito de Canavieiras, Almir Melo, notificou nesta sexta-feira (15), a Embasa pela qualidade da água que está sendo distribuída pela empresa aos canavieirenses. Como Poder Concedente do serviço de distribuição de água tratada, a Prefeitura concedeu o prazo de 48 horas para a explicação sobre o problema.

De acordo com a direção da Unidade Operacional da Embasa em Itabuna, os dados que estão sendo coletados estão dentro da normalidade, em conformidade com os índices recomendados para o consumo humano. Em razão do impasse, já que, comprovadamente, há cerca de uma semana a água apresenta níveis elevados de salinidade, ficou acertado que na próxima terça-feira (19) serão realizadas coletas para análise na captação, em dois momentos distintos: nas marés alta e baixa.

Enquanto isso, a população continua consumindo – quando encontra – água mineral a preços mais altos do que o vendido normalmente.

Desmentido – Enquanto isso, a Assessoria de imprensa da Embasa elabora nota à imprensa tentando desmentir a informação. Segundo a nota, “A Embasa informa que é inverídica a informação de que a água distribuída em Canavieiras é salgada. As análises realizadas regulamente mostram que o teor de cloreto é de 33 miligramas por litro (mg/l), bem abaixo do máximo permitido pela portaria número 2.914, de 2011, do Ministério da Saúde, que é de 250 mg/l.”

É a direção da Embasa, que não experimentou a água, desmentindo toda a população de Canavieiras. É preciso que a Embasa busque o que está errado: se o funcionário que fez a análise, ou se os equipamentos e insumos utilizados estão em perfeita ordem. Nada mais constrangedor do que não aceitar uma reclamação.

Atitude antidemocrática para uma empresa governamental.

ILDÁSIO TAVARES (1940-2010)

Durval França Filho 1 - Foto Walmir Rosário Durval Pereira da França Filho*

Conheci Ildásio Tavares em 1994, quando participei de um Concurso Regional de Poesias, em Ipiaú, junto com o saudoso Adelmar D. Santos, que foi o classificado em primeiro lugar. Eu fiquei em terceiro. Ildásio Tavares estava lá para o lançamento de seu novo romance A Ninfa. Conversamos bastante sobre a cultura regional e, no exemplar que adquiri, ele colocou: “Ofereço A Ninfa a Durval Filho, com todo apreço e admiração por seu talento e seu brilho. Ipiaú, 12 de janeiro de 1994”.

Ildásio Marques Tavares nasceu na fazenda São Carlos, atual município de Gongogi, região cacaueira da Bahia, no dia 25 de janeiro de 1940, filho de Eduardo Tavares dos Santos e Hilda Marques Tavares. Estudou em Salvador, onde se formou em Direito, e em Letras pela Universidade Federal da Bahia. Fez mestrado na Southern Illinois University, dos Estados Unidos, doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro e pós-doutorado na Universidade de Lisboa.

Dono de curriculum invejável, era poeta, romancista, novelista, dramaturgo, ensaísta, compositor, e pertenceu à geração da Revista Bahia, ao lado de Cyro de Mattos, Marcos Santarrita, José Carlos Capinam, Ruy Espinheira Filho e tantos outros.

Seu primeiro livro de poesia, Somente um Canto, foi publicado em 1968 e a esse seguiram outros, de poesia e em prosa: romances, teatro e ensaios. Como compositor teve 46 músicas gravadas por Vinícius de Moraes, Maria Bethania, Alcione, Toquinho, Nelson Gonçalves e Maria Creusa.

Comprometido com a cultura afro-brasileira, foi Ogá de Oxum e Obá Arê da Casa de Xangô, do Axé Opó Afonjá. Também foi autor da ópera Lídia de Oxum.com música de Lindembergue Cardoso, regida por Júlio Medaglia, levada às margens da Lagoa do Abaeté, em Salvador, para um público de aproximadamente 30 mil espectadores. Depois, foi apresentada em diversos palcos brasileiros.

Tradutor e professor de Inglês, durante quase vinte anos, serviu-se dessa experiência para o seu livro A Arte de Traduzir. Seu trabalho poético tem merecido crítica favorável de grandes nomes nacionais e estrangeiros, como Carlos Nejar, que o considerava poeta baiano e universal; Jorge Amado, Fernando Py e Nelson Werneck Sodré. Tem poemas traduzidos e publicados na Argentina, Uruguai, Chile, Bulgária e Estados Unidos, onde lecionou Português e Literatura Brasileira.

O dono dessa brilhante produção faleceu no dia 31 de outubro de 2010, aos 70 anos, em razão de um grave acidente vascular cerebral, que resultou em falência múltipla dos órgãos. Uma grande perda.

*Historiador e diretor da Biblioteca Municipal Afrânio Peixoto (Canavieiras).

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ... 335 336 337 Próximas
Canavieiras pretende ampliar setor turístico
 
O resgate da atividade turística é uma das metas estabelecidas pelo prefeito Almir Melo para ter o turismo como uma das principais atividades econômicas. Trabalho com essa finalidade está sendo desenvolvido pelo secretário Fernando Volpi e que já produz resultados positivos.
 
LEIA MAIS
 
Livros de graça para todo o mundo. Basta apoiar o projeto
O Prêmio Galinha Pulando começou em 2005, patrocinado pelo seu organizador Valdeck Almeida de Jesus. Até 2009 cada poeta selecionado recebia um livro de graça. A partir daí, ficou muito caro para Valdeck bancar tudo sozinho. Agora em 2014 veio a ideia de pedir ajuda aos autores e a quem puder colaborar comprando antecipado exemplares da antologia poética.
 
LEIA MAIS
Alto Beco do Fuxico festeja seus 30 anos
 
Saudosismo, amizade, cachaça da boa, cerveja bem gelada, mocofato preparado por Danilo, música de todos os gêneros e para atender todos os gostos. Esse foi o combustível que moveu membros da Confraria do Alto Beco do Fuxico, os acadêmicos da Academia de Letras, Artes, Música, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopia e Etc. (Alambique), além de outros frequentadores do Alto Beco do Fuxico.
 
LEIA MAIS