CIA DA NOTÍCIA

Neto LX é mais uma atração no Carnaval da Reconstrução

Neto LX canta nesta segunda-feira no Carnaval de Canavieiras

Neto LX canta nesta segunda-feira no Carnaval de Canavieiras

Além das 20 atrações já contratadas para animar o 3º Carnaval da Reconstrução, o prefeito Almir Melo anunciou mais uma: o cantor e compositor ilheense Neto LX. Ele se apresenta nesta segunda-feira (8), no palanque do Carnaval Convencional implantado no Sítio Histórico, em Canavieiras.

A atração foi contratada para o Carnaval após o prefeito Almir Melo ter recebido diversas solicitações do público (nativos e turistas). “Diante das inúmeras reivindicações, entramos em contato com a produção e o cantor e conseguimos fechar o contrato”, comemora o prefeito.

Neto LX é um dos artistas que vem realizando shows por todo o Brasil, apresentando uma novo estilo musical, o Arrocha Ostentação. É assim que ele denomina a mistura baiana do arrocha e do pagode com a ideologia da ostentação do rap e hip hop americanos e do funk da baixada santista.

E essa alquimia de sons, ritmos e efeitos resultou num estilo único e moderno, consagrando Neto LX como Rei dos Paredões. Hoje, seus shows “arrastam” milhares de fãs para os palcos em que se apresenta. Em Canavieiras, Neto LX promete um show imperdível, daqueles que leva a grande plateia ao delírio.

Formato consagrado – Todos os dias de Carnaval, a folia terá início com o Carnaval Cultural, seguido de bandas que tocarão os ritmos do Carnaval convencional, como axé music, pagodão, arrocha dentre outros estilos musicais apreciados pelo público.

Nesta segunda-feira (8), animam o Carnaval Convencional as bandas Realce, Gera Samba, BBB, Tsunami e Neto LX.

barrada no baile de posse

DEU NO PIMENTA BLOG

ADÉLIA

angela sousaA deputada estadual Ângela Sousa (PSD) foi barrada na solenidade de posse da reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Adélia Pinheiro, nesta noite de quarta (3).

A parlamentar tentou usar da prerrogativa do cargo, mas não conseguiu ter acesso à sala reservada às autoridades. O cerimonial do evento não tomou conhecimento. Restou a ela ficar na plateia.

Para completar o vexame, a deputada também não foi chamada para compor a mesa da solenidade. Do evento de posse de Adélia e do vice-reitor, Evandro Freire, participaram autoridades como o deputado federal Davidson Magalhães e o vice-governador João Leão, que representou Rui Costa.

definida a programação do Carnaval da Reconstrução em Canavieiras

Um grande público prestigia o Carnaval de Canavieiras

Grande público presente no Carnaval de Canavieiras

O prefeito de Canavieiras, Almir Melo, confirmou nesta quinta-feira (21) as atrações para o 3 º Carnaval da Reconstrução, que será realizado no período de 5 a 9 de fevereiro próximo. A exemplo do ano passado, a Folia Momesca terá como palco o Sítio Histórico de Canavieiras, onde serão implantados dois palcos: um para o Carnaval Cultural e outro para o Carnaval Convencional.

De acordo com a programação, o Carnaval Convencional terá quatro bandas por noite e será iniciado às 22 horas de sexta-feira (5), com a apresentação da Banda BBB; às zero hora entra a Banda Boyzinho; às 2 horas, a Banda Império da Loira; e às 4 horas, a Banda Risco de Amar. As bandas que animarão o Carnaval Convencional utilizarão o palco implantado na rampa do Cais do Porto, no final da rua General Pederneiras.

No sábado (6), a partir das 22 horas (horário do início do Carnaval Tradicional), a Banda Pegadão abrirá a festa, seguida das bandas Afrodisíaco, Tôa-Tôa e Maria Bretheira. No domingo (7), se apresentam as bandas Love Beat, Capitão Axé, Amor a Dois e BBB. Cada uma das bandas se apresenta por duas horas.

Na segunda-feira (8), sobem ao palco do Carnaval Convencional, as bandas Realce, Gera Samba, Pra te Querer e Tsunami. Na terça-feira (9), último dia do Carnaval, se apresentam as bandas Trivelada, Selakuatro, A rapaziada e a banda BBB encerra o o 3º Carnaval da Reconstrução.

No palco do Carnaval Cultural, localizado na praça Dr. Eduardo Campos – no final do calçadão da Felinto Melo, se apresentarão Litinho e Banda, Boinha Miranda, Sambão Metálica, as bandas das filarmônicas, dentre outras. O cronograma de apresentação deverá ser conhecido na próxima segunda-feira (25).

Em qualquer das áreas em que o folião estiver localizado, poderá participar dos diferentes eventos, o que é possível com a instalação de dois PA’s (sistema de amplificação eletrônica). Com isso, todo o público poderá ouvir os shows, independentemente da sua localização no sítio da folia.

De acordo com o projeto de logística em elaboração, a entrada e saída de pessoas para o sítio da folia deverá se dar por dois locais diferentes: as ruas General Pederneiras e Marechal Deodoro da Fonseca. Também serão criados portões de serviço e emergência, com a finalidade de garantir a segurança do público.

Para manter a segurança, encontros estão sendo mantidos entre o prefeito Almir Melo, o secretário de Obras e Transportes, Lucas Rodrigues, e o comando da Polícia Militar. Nessas reuniões será elaborado um plano de segurança para garantir a tranquilidade dos foliões. Além da segurança da Polícia Militar, a Guarda Civil Municipal também trabalhará na segurança do patrimônio público 24 horas, durante todo o período da festa.

No sítio da folia também serão implantados demais serviços públicos, com o objetivo de prestar toda a atenção aos foliões, a exemplo de posto de orientação à saúde, além de ambulância. Ainda estarão no local órgãos da Secretaria da Assistência Social e da fiscalização do Código e Postura e Vigilância Sanitária.

Biblioteca Afrânio Peixoto organiza acervo e amplia quantidade de leitores

Professor Durval França Filho, diretor da Biblioteca

Professor Durval França Filho, diretor da Biblioteca

A Biblioteca Municipal Afrânio Peixoto, em Canavieiras, encerrou o ano de 2015 com resultado altamente positivo. O acervo de empréstimo está quase completamente registrado e ordenado pelos nomes de família dos autores e nas estantes por ordem de prenomes, o que facilitar a busca dos usuários.

A equipe da biblioteca está trabalhando apenas com a sala de empréstimo, por enquanto destinada a livros das mais diversas áreas do conhecimento: Ciências Contábeis, Ciências Exatas, Ciências Jurídicas, Ciências Sociais (Antropologia, Psicologia, Sociologia), Filosofia, Geografia, História, Linguística, Literatura Nacional, Literatura Estrangeira, Medicina, Religião/Teologia. O acervo desse setor é de aproximadamente 10 mil volumes.

Esses livros, registrados dentro de sua área específica, vão gerar um caderno para consulta, de forma que os usuários irão ao acervo com a certeza de que o livro existe. Cerca de 1.100 pessoas, entre estudantes de todos os níveis, pesquisadores, leitores em geral e visitantes de diversas partes do Brasil visitaram a Biblioteca Municipal, no ano de 2015.

Hoje, o autor de maior bagagem literária, entre os brasileiros, é o carioca Machado de Assis (1839-1908), com 100 volumes, seguido pelo maranhense Humberto de Campos (1886-1934), 88, e do baiano Jorge Amado (1912-2001), 50. Entre os estrangeiros, o português Eça de Queirós (1845-1900) lidera o ranking, com 83 volumes, seguido pelo francês Júlio Verne (1828-1905), 60, e pela “rainha do crime” britânica, Agatha Christie (1890-1976), com 48 volumes.

Público infantil é ampliado com contação de histórias

Público infantil é ampliado com contação de histórias

Outros nomes consagrados também aparecem, tais como: os britânicos William Shakespeare (1564-1616) e W. Somerset Maugham (1874-1965), o russo Fiódor Dostoiewski (1821-1881), o espanhol Miguel de Cervantes (1547-1616), os franceses Alexandre Dumas (1824-1895) e Gustave Flaubert (1821-1880), o italiano Alberto Moravia (1907-1990) e os regionais como o canavieirense Adelmar Santos (1933-2008).

Explica, ainda, o diretor da Biblioteca Afrânio Peixoto, historiador Durval França Filho, que a cada dia amplia o número de leitores, formado por alunos das escolas das redes públicas e privada. Outro público constante é formado pelos pesquisadores acadêmicos regionais e de outros estados, que procuram o acervo histórico da Biblioteca.

Para o professor Durval, Canavieiras tem uma história bastante rica, e como grande parte desse passado está registados nos livros e em outras publicações da época, a procura é contínua. Para ele, em plena era digital, as crianças que buscam a biblioteca também saem encantadas com os livros, principalmente os que possui bastante fotos e ilustrações, o que não deixa de ser uma curiosidade. “É só ler para crer”, conclui o professor Durval França.

Água salgada

O prefeito de Canavieiras, Almir Melo, notificou nesta sexta-feira (15), a Embasa pela qualidade da água que está sendo distribuída pela empresa aos canavieirenses. Como Poder Concedente do serviço de distribuição de água tratada, a Prefeitura concedeu o prazo de 48 horas para a explicação sobre o problema.

De acordo com a direção da Unidade Operacional da Embasa em Itabuna, os dados que estão sendo coletados estão dentro da normalidade, em conformidade com os índices recomendados para o consumo humano. Em razão do impasse, já que, comprovadamente, há cerca de uma semana a água apresenta níveis elevados de salinidade, ficou acertado que na próxima terça-feira (19) serão realizadas coletas para análise na captação, em dois momentos distintos: nas marés alta e baixa.

Enquanto isso, a população continua consumindo – quando encontra – água mineral a preços mais altos do que o vendido normalmente.

Desmentido – Enquanto isso, a Assessoria de imprensa da Embasa elabora nota à imprensa tentando desmentir a informação. Segundo a nota, “A Embasa informa que é inverídica a informação de que a água distribuída em Canavieiras é salgada. As análises realizadas regulamente mostram que o teor de cloreto é de 33 miligramas por litro (mg/l), bem abaixo do máximo permitido pela portaria número 2.914, de 2011, do Ministério da Saúde, que é de 250 mg/l.”

É a direção da Embasa, que não experimentou a água, desmentindo toda a população de Canavieiras. É preciso que a Embasa busque o que está errado: se o funcionário que fez a análise, ou se os equipamentos e insumos utilizados estão em perfeita ordem. Nada mais constrangedor do que não aceitar uma reclamação.

Atitude antidemocrática para uma empresa governamental.

ILDÁSIO TAVARES (1940-2010)

Durval França Filho 1 - Foto Walmir Rosário Durval Pereira da França Filho*

Conheci Ildásio Tavares em 1994, quando participei de um Concurso Regional de Poesias, em Ipiaú, junto com o saudoso Adelmar D. Santos, que foi o classificado em primeiro lugar. Eu fiquei em terceiro. Ildásio Tavares estava lá para o lançamento de seu novo romance A Ninfa. Conversamos bastante sobre a cultura regional e, no exemplar que adquiri, ele colocou: “Ofereço A Ninfa a Durval Filho, com todo apreço e admiração por seu talento e seu brilho. Ipiaú, 12 de janeiro de 1994”.

Ildásio Marques Tavares nasceu na fazenda São Carlos, atual município de Gongogi, região cacaueira da Bahia, no dia 25 de janeiro de 1940, filho de Eduardo Tavares dos Santos e Hilda Marques Tavares. Estudou em Salvador, onde se formou em Direito, e em Letras pela Universidade Federal da Bahia. Fez mestrado na Southern Illinois University, dos Estados Unidos, doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro e pós-doutorado na Universidade de Lisboa.

Dono de curriculum invejável, era poeta, romancista, novelista, dramaturgo, ensaísta, compositor, e pertenceu à geração da Revista Bahia, ao lado de Cyro de Mattos, Marcos Santarrita, José Carlos Capinam, Ruy Espinheira Filho e tantos outros.

Seu primeiro livro de poesia, Somente um Canto, foi publicado em 1968 e a esse seguiram outros, de poesia e em prosa: romances, teatro e ensaios. Como compositor teve 46 músicas gravadas por Vinícius de Moraes, Maria Bethania, Alcione, Toquinho, Nelson Gonçalves e Maria Creusa.

Comprometido com a cultura afro-brasileira, foi Ogá de Oxum e Obá Arê da Casa de Xangô, do Axé Opó Afonjá. Também foi autor da ópera Lídia de Oxum.com música de Lindembergue Cardoso, regida por Júlio Medaglia, levada às margens da Lagoa do Abaeté, em Salvador, para um público de aproximadamente 30 mil espectadores. Depois, foi apresentada em diversos palcos brasileiros.

Tradutor e professor de Inglês, durante quase vinte anos, serviu-se dessa experiência para o seu livro A Arte de Traduzir. Seu trabalho poético tem merecido crítica favorável de grandes nomes nacionais e estrangeiros, como Carlos Nejar, que o considerava poeta baiano e universal; Jorge Amado, Fernando Py e Nelson Werneck Sodré. Tem poemas traduzidos e publicados na Argentina, Uruguai, Chile, Bulgária e Estados Unidos, onde lecionou Português e Literatura Brasileira.

O dono dessa brilhante produção faleceu no dia 31 de outubro de 2010, aos 70 anos, em razão de um grave acidente vascular cerebral, que resultou em falência múltipla dos órgãos. Uma grande perda.

*Historiador e diretor da Biblioteca Municipal Afrânio Peixoto (Canavieiras).

O Caminho para a Sustentabilidade nos cultivos de camarão é tema de curso

O prefeito Almir Melo falou sobre a importância da atividade para Canavieiras

O prefeito Almir Melo falou sobre a importância da atividade para a economia de Canavieiras

A Associação dos Criadores de Camarão de Canavieiras promoveu nesta quinta-feira (14), no auditório da Secretária Municipal da Educação, o curso “Sistema de Produção Intensiva de Camarões Marinhos com Mínimo Uso de Água – O Caminho para a Sustentabilidade nos cultivos. O curso foi ministrado pelo engenheiro de aquicultura e mestre em aquicultura, Bruno Ricardo Scopel.

Presente ao evento, o prefeito de Canavieiras, Almir Melo, ressaltou que é importante para o gestor acreditar no empreendedorismo como forma de desenvolver a economia do município. “Sempre acreditei na carcinicultura, uma atividade que sempre está em busca de produzir mais e melhor”, ressaltou.

Acredita o prefeito, que a utilização de tecnologias modernas é uma demonstração de que os empresários acreditam no seu empreendimento, investindo no uso da ciência. Almir Melo também destacou a preocupação dos carcinicultores com o meio ambiente, dando como exemplo esse curso.

Para o presidente da Associação de Criadores de Camarão de Canavieiras, Vilmar Macari, os carcinicultores estão sempre desenvolvendo novas ações e processos tecnológicos de produção. “Canavieiras é um celeiro para a produção de peixes e camarões, com uma natureza exuberante e recursos hídricos à disposição. E nós temos o compromisso de preservá-los”, considerou.

Novas plataformas – Segundo o palestrante Bruno Scopel, o uso de alternativas de produção tem sido uma constante na atividade de carcinicultura, com a finalidade de produzir um produto de qualidade a um preço justo. Nesse sentido, a introdução de novas tecnologias é cada vez mais crescente, inclusive com a mudança de plataformas.

Hoje, com a escassez dos recursos hídricos, é necessário buscar o caminho para a sustentabilidade social, ambiental e econômica. “Todas essas ações estão lastreadas no uso de recursos biológicos naturais, sem a utilização de produtos químicos ou antibióticos na produção”, esclarece o engenheiro de aquicultura.

Ao mesmo tempo em que essa nova plataforma utiliza menor quantidade de água, também diminui o volume de efluentes lançados na natureza. Para isso, utiliza-se água de qualidade em todo o ciclo de produção, evitando ou diminuindo os riscos de contaminação por doenças.

Informa Bruno Scopel, que a tecnologia apresentada é resultado de pesquisas acadêmicas já validadas em campo em diversos países dos cinco continentes. “Visitei todos os países que estão utilizando essa nova plataforma antes de introduzir no país e hoje todos os produtores estão contentes com os resultados positivos causados pela mudança”, relata.

Como resultados práticos, a produtividade é destacada pelo palestrante. Segundo ele, normalmente se produz num ciclo de 1,5 a 4 toneladas de camarão em um hectare. Entretanto, com a utilização da tecnologia a produtividade poderá ser ampliada para 50 a 60 toneladas por ciclo na mesma área.

Para o técnico, a criação de camarões em cativeiro tem seus desafios de produção, mas é uma atividade em que os problemas se resumem à gestão, respeito à legislação e alguma ação política. “Hoje o mundo está em busca de alimentos mais saudáveis e os frutos do mar têm todas essas características”, explica.

Segundo as estatísticas, cerca de 98 % da produção de camarão em cativeiro do Brasil são comercializados no mercado interno, o que demonstra a potencialidade desse segmento econômico. “É hora de implantar novos paradigmas, sempre inovando, pois existe um mercado em todo o mundo ávido por consumir camarão de qualidade”, concluiu o engenheiro Bruno Scopel.

Afrísio Vieira Lima – uma perda irreparável

Almir Melo - prefeito de Canavieiras (2)-128x128Almir Melo*

Chora a Bahia, chora o Brasil, chora Canavieiras com a perda do ilustre brasileiro Afrísio Vieira Lima. E ele desaparece justamente numa hora em que a classe política está em baixa junto à opinião pública. Justamente Afrísio, que poderia contribuir para forjar novos homens públicos, como fez com os filhos – não menos ilustres – Geddel Vieira Lima, que ocupou vários cargos no legislativo e executivo; e Lúcio Vieira Lima, reconhecidamente um dos melhores e mais desenvoltos deputados da Câmara Federal.

Afrísio conseguiu transferir seus genes físicos, morais e políticos para os filhos. Como homem público, exerceu funções e cargos nos três poderes. Foi vereador, deputado estadual, federal, secretário da Segurança Pública da Bahia, diretor-presidente da Codeba, superintendente do Centro Industrial de Aratu, superintendente regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e presidente da Junta Comercial do Estado da Bahia (Juceb).

Durante toda sua vida contribuiu para que pudéssemos viver num país melhor, exercendo sua influência para que Canavieiras fosse beneficiada pelos recursos estadual e federal com a construção de obras e serviços. Fez o que deveria: recebeu os votos dos canavieirenses, retribuiu com muito trabalho e dedicação. Coisa que somente um homem público de sua estirpe consegue fazer ao assumir um compromisso.

Se na política agia com determinação, na vida familiar não foi diferente ao transferir seu DNA político aos filhos Geddel e Lúcio Vieira Lima, homens públicos que conseguiram se distinguir dos demais pela conduta exemplar. Antes da política, aprenderam no convívio familiar a se relacionar com as pessoas como amigos. E verdadeiros amigos.

Todos – pai e filhos – são homens do bom combate, daqueles que sabem reconhecer os adversários e não apenas tratá-los como inimigos, pois no futuro poderão comungar com seus ideais. São pessoas que nunca precisaram “vender a alma ao diabo”, como comumente ouvimos falar na política, pois sabem traçar o norte, sempre de acordo com princípios altruístas.

Estou à vontade para falar da família Vieira Lima, companheiros de trincheiras em memoráveis lutas políticas. Juntos, participamos do processo político baiano e canavieirense, sempre defendendo nossos ideais de fazer mais por esta terra. Em momento algum fugimos um só milímetro de nossos propósitos e alcançamos a vitória pela reconstrução de Canavieiras.

E tudo começou com Afrísio candidato a deputado federal e que recebeu uma expressiva votação do povo de Canavieiras. Em seguida, o filho Geddel, que encampou lutas homéricas para os que tratavam esta terra como um feudo insignificante e teve continuidade com Lúcio, deputado responsável pela liberação de recursos para a construção de grandes projetos turísticos em Canavieiras.

O nosso relacionamento não era decorrente de simples contato político, mas de uma amizade sólida, cimentada na lutas democráticas, calcada no respeito às diferenças para a construção de uma sociedade mais justa. Essa convivência respeitosa que dura anos a fio passou como um filme em meu pensamento durante a despedida deste patriarca do nosso mundo.

Cada vez estou mais convicto que este Brasil pode ser uma terra de oportunidade para seus filhos, bastando, para isso, que usemos como exemplo a conduta exemplar de um homem como Afrísio Vieira Lima, que deixou um legado a ser seguido por todos.

Que Deus o tenha num lugar de destaque ao seu lado.

* Prefeito de Canavieiras e amigo da família

Emissora de rádio sofre com descaso da COELBA

A Costa Sul FM, que integra a RBR – Rede Baiana de Rádio, situada em Canavieiras, sul do estado, sofre há vários dias com o descaso da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia – COELBA, por conta da má prestação de serviços de fornecimento de energia elétrica.
Constantes interrupções tem causado prejuízos materiais e financeiros para a emissora e a população regional.
Diversos protocolos de reclamações foram abertos pela equipe da emissora desde o início do ano e, na maioria das vezes, as solicitações não são atendidas ou desculpas absurdas são dadas. A companhia chegou, em alguns casos, a culpar a chuva pelas constantes quedas de energia, mais vale salientar que não chove no Sul da Bahia há mais de 150 dias.
A emissora elaborou uma nota de esclarecimento, que segue em anexo.

AACEP lança livro de Jorge Vieira

Jorge Vieira lança Ceplac 50 anos em 50 escrito

Jorge Vieira lança Ceplac 50 anos em 50 escrito

A Associação dos Aposentados e Pensionistas da Ceplac – AACEP realizará na próxima quinta-feira, 17, às 9 horas, um Momento Cultural para marcar o lançamento do Livro “CEPLAC – 50 anos em 50 escritos”, de autoria do escritor e engenheiro agrônomo, Jorge Raymundo Castro Vieira, que estará presente para autografar a obra.

Filho de família tradicional de cacauicultores, Jorge Vieira nasceu em 28 de fevereiro de 1931, no município de Ilhéus, e graduou-se em Agronomia pela Universidade Rural do Estado de Minas Gerais (UREMG), atualmente Universidade Federal de Viçosa (UFV), onde mais tarde se tornaria professor e Diretor do seu Centro de Ensino de Extensão – CEE, e Membro do Conselho Universitário.

Entre 1966 e 1967, obteve o grau de Mestre em Desenvolvimento Rural pelo Instituto Interamericano de Ciências Agrícolas – IICA, em Turrialba na Costa Rica.

Na Ceplac, participou ativamente do seu desenvolvimento institucional ocupando vários cargos, dentre eles o de Diretor do Departamento de Extensão, no período de 1963/68, quando trabalhou ativamente na sua organização e contribuiu intensamente na criação da Fundação Universitária de Santa Cruz e da UESC.

Na condição de membro das delegações brasileiras, ele participou no Brasil e países da Europa, África e América, de inúmeras conferências sobre o Acordo Internacional do Cacau e da Aliança dos Países Produtores de Cacau.

No campo literário, Jorge Vieira publicou vários trabalhos técnicos e dois livros sobre a Ceplac e a Universidade. “Predomina em mim o idealismo e a vontade de comunicar, de estimular, de discutir coisas boas, de provocar as pessoas visando modificar esse quadro econômico, social e político de uma região muito importante e bonita e de muito futuro ainda”, assim ele definiu os seus anseios de escritor.

O presidente da AACEP, Aristóteles Bispo, ressaltou o apoio da entidade ao associado ilustre e segundo ele, “Além do ganho cultural, será uma grande oportunidade para reunir antigos colegas ceplaqueanos que admiram o trabalho de Jorge Vieira, além de produtores e personalidades da cultura regional”.

1ª Lavagem do Beco do Berimbau relembra tradição festeira do local

1ª Lavagem do Berimbau -131 Foto Walmir Rosário 0Uma alvorada pirotécnica às 5 da manhã, um “café” reforçado com mocofato e cachaça como aperitivo – como manda a tradição – anunciou que o segundo sábado do mês de dezembro é dia festa na Confraria do Berimbau. Este ano sábado (12), os festejos só mudaram de nome e o antigo Troféu Galeota de Ouro agora ostenta o nome de Lavagem do Beco do Berimbau.

A mudança em nada mudou o ânimo dos confrades e frequentadores d’O Berimbau, que festejaram o retorno das atividades festivas, agora em novo horário: Das 9h51min às 18 horas. Neste espaço de tempo, muita cerveja gelada, churrasquinho de gato e cachaça dos mais variados tipos, em espaço apropriado – a Reserva Alcoólogica – ganhou público cativo.

Sambão do Camarão

Sambão do Camarão

Duas atrações musicais – O Sambão do Camarão e JC Musical (Jorge e Denise Carvalho – animaram a Lavagem, com um vasto repertório, que incluiu músicas de balcão de botequim. Dos velhos aos novos participantes, todos foram unânimes em ressaltar que a lavagem veio para ficar, pois reuniu todas as características festeiras, como boa música, cerveja bem gelada, cachaça quente, tira-gosto e bate-papo entre os amigos.

Segundo o organizador do evento e diretor d’O Berimbau, José Gama, ou Zé do Gás, até mesmo os antigos frequentadores e que agora são abstêmios participaram de toda a Lavagem, a exemplo de Antônio Tolentino, o Tolé. O

Jorge e Denise Carvalho

Jorge e Denise Carvalho

Berimbau funcionou por cerca de 40 anos e com a morte do seu proprietário, Neném de Argemiro, em 2005, o botequim mais famoso de Canavieiras encerrou suas atividades, sendo reaberto por Zé do Gás.

O Berimbau reúne entre seus clientes pessoas das mais variadas profissões, que têm em comum o prazer pelo bate-papo numa mesa ou pé de balcão, bebendo iguarias etílicas e comendo o que já de melhor na gastronomia. A cada sábado um dos confrades oferece um prato de “sustança”, com exceção do primeiro sábado de cada mês, quando é servido o prato oficial da casa: o mal-assado.

A turma ficou colada na Reserva Alcoológica

A turma ficou colada na Reserva Alcoológica

Este ano, a 1ª Lavagem do Beco d’O Berimbau contou com a participação de pessoas de Canavieiras e outras cidades, a exemplo do advogado itabunense Augusto Ferreira, frequentador costumeiro das praias canavieirenses. Para o próximo ano, a Lavagem d’O Berimbau promete se repetir, dentro dos mesmos moldes da deste ano. “Vamos organizar o próximo evento com a mesma tranquilidade deste, priorizando a reaproximação dos amigos”, concluiu Zé do Gás.

Escola Frei Sampaio encerra ano letivo

Encerramento do ano letivo da Escola Frei SampaioA Escola Frei Sampaio encerrou as atividades pedagógicas der 2015 com a a solenidade de Colação de Grau dos Formandos das séries iniciais do Ensino Fundamental (quinto ano). Participaram do evento, realizado na última sexta-feira (11), na Loja Maçônica União e Caridade, seis alunos das escolas Liana Belém e um da Cassimiro Luiz Gomes, num total de 40 formandos.

No discurso de abertura, a secretária da Educação, Emília Cristina Augusto dos Santos ressaltou a importância desse momento na vida de cada um dos alunos. “Quero dizer que mais do que o recebimento de um certificado, a formatura serve para mostrar que vocês são capazes de lutar por seus objetivos e conquistá-los. Esta conquista irá impulsionar outras buscas e abrir novos horizontes, sempre apontando para um futuro de sucesso”, disse.

Segundo a diretora, diversas atividades foram realizadas ao longo do ano, com o objetivo de arrecadar fundos para a festa. “Fizemos sorteios de kits de perfumarias e utensílios domésticos e com o dinheiro, compramos tecidos para confeccionar as becas usadas pelos alunos, que ficarão para o acervo da escola”, disse a diretora Ana Nery, ressaltando que esta foi a primeira festa de formatura da instituição.

Em seu discurso, o ministro da palavra Hélio Xavier falou aos presentes sobre gratidão. “Devemos ser altivos na derrota e humildes na vitória. Ao lado da humildade, há outra virtude que eleva o espírito e traz felicidade: é a gratidão. Mas atenção, a gratidão é presa fácil do tempo: tem memória curta e envelhece depressa. Portanto, lembrem-se sempre: Agradecer, de coração, enriquece quem oferece e quem recebe”, pregou.

O evento foi encerrado com uma apresentação de dança do Ballet Plié. Hoje, a Escola Frei Sampaio é mantida através de uma parceria entre a Loja Maçônica União e Caridade e a Prefeitura de Canavieiras, que mantém cursos do Nível Fundamental I.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ... 335 336 337 Próximas
Canavieiras pretende ampliar setor turístico
 
O resgate da atividade turística é uma das metas estabelecidas pelo prefeito Almir Melo para ter o turismo como uma das principais atividades econômicas. Trabalho com essa finalidade está sendo desenvolvido pelo secretário Fernando Volpi e que já produz resultados positivos.
 
LEIA MAIS
 
Livros de graça para todo o mundo. Basta apoiar o projeto
O Prêmio Galinha Pulando começou em 2005, patrocinado pelo seu organizador Valdeck Almeida de Jesus. Até 2009 cada poeta selecionado recebia um livro de graça. A partir daí, ficou muito caro para Valdeck bancar tudo sozinho. Agora em 2014 veio a ideia de pedir ajuda aos autores e a quem puder colaborar comprando antecipado exemplares da antologia poética.
 
LEIA MAIS
Alto Beco do Fuxico festeja seus 30 anos
 
Saudosismo, amizade, cachaça da boa, cerveja bem gelada, mocofato preparado por Danilo, música de todos os gêneros e para atender todos os gostos. Esse foi o combustível que moveu membros da Confraria do Alto Beco do Fuxico, os acadêmicos da Academia de Letras, Artes, Música, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopia e Etc. (Alambique), além de outros frequentadores do Alto Beco do Fuxico.
 
LEIA MAIS