CIA DA NOTÍCIA

O avanço do mar na Atalaia: crime ambiental ou castigo?

Walmir Rosário*

Estamos sendo constantemente alertados para o fim do mundo e não levamos a sério, embora os sinais são mostrados a nós todos os dias pelos cientistas nos diversos meios de comunicação. Sei que não devemos levar todos esses conselhos (ou afirmações?) ao pé da letra, pois também existe muito entusiasmo nos estudos científicos, que deixam a razão para serem tomados de emoção.

Aqui também não vou levar a sério os sinais dos tempos ditos nos livros religiosos, inclusive a Bíblia, e repetidamente divulgados pelos pastores e profetas apocalíticos, que anunciam o fim do mundo. Eu mesmo já me preparei para alguns, inclusive um que prometia banir da face da terra não só nós humildes pecadores, mas todos os animais, vegetais e até mesmo os computadores.

O fim do mundo não veio e nossos falsos profetas já começaram a anunciar uma nova época, como se os desígnios do Pai Eterno dependesse de data para ser consumado, como a estreia de uma peça de teatro ou um filme de Hollywood. Mesmo não dando trela para essas coisas absurdas, pois como um profissional da comunicação não posso ficar alheio a uma notícia catastrófica dessas, até para dar ou desmenti-la em primeira mão, me preocupo em analisar.

Mas, seguindo a sabedoria popular “fica o dito pelo não dito”, fico com o pé atrás e costumo observar, em campo, essas notícias, menos pelo cunho profético e mais pelas modificações no meio ambiente. Não precisa muito esforço para constatarmos as mudanças, sentidas em todo o mundo, principalmente no mar, nas matas, em nossos rios e no ar que respiramos.

Recordo-me bem de um Festival do Caranguejo realizado em Canavieiras no ano 2000, quando num seminário sobre o futuro dos nossos gostosos crustáceos, uma especialista sergipana, a quem denominamos à época de caranguejóloga, que vaticinou o fim da ilha da Atalaia. E mais, a competente cientista sergipana teria concedido o prazo de apenas 20 anos para que a famosa ilha fosse coberta pelas águas do mar, até chegar ao rio Pardo.

Como o prazo está vencendo, nas minhas caminhadas matinais pela praia da Costa fico a observar os sinais, principalmente pelas barrancas de areia junto à avenida Beira-mar. Nada preocupante, diria qualquer cientista, mas, aos poucos, dá pra verificar que as águas do mar estão fazendo uma “viagem” maior do que antes. Em alguns locais os precavidos proprietários de casas, sítios e cabanas já construíram barreiras para evitar o avanço das águas provocados pelas marés maiores.

Juro que não sou bom de cálculos que envolvam física e matemática, mas já dá pra ver a olhos nus, como diz o ditado popular. Daí que fico pensando no que poderão acontecer nesses dois anos e pouco que ainda faltam para completar o vaticinado pela nossa competente caranguejóloga sergipana. Como um homem prevenido vale por dois, acredito ser chegado o momento para observações e estudos científicos sobre nossa costa.

E digo isso com base no que está acontecendo no litoral próximo a Canavieiras, a exemplo de Ilhéus, ao norte, e Belmonte logo ao sul, sem falarmos em outras praias um pouco mais distantes. A atividade econômica praiana em Belmonte já corre perigo e os turistas se queixam de não ter uma cabana à beira-mar onde beber uma cerveja bem gelada, devidamente acompanhado de um peixe-frito, camarão pistola ou outro fruto do mar.

Em Ilhéus, algumas das cabanas mais conhecidas e conceituadas do litoral sul já começaram a recuar, dado o grande avanço das marés, o que era considerado apenas um costume do mar nas praias mais ao norte, como nos bairros de São Domingos e São Miguel. Creio que desta vez a culpa não seja creditada apenas à construção do espigão do manguezal, porto do Malhado.

Não tomem essas mal traçadas linhas como um estudo abalizado e de cunho científico, mas é de bom alvitre pensar nas consequências que poderão advir da má utilização dos nossos recursos ambientais. O fato é que os pilotos de lanchas que fazem o trajeto Canavieiras a Belmonte pelos canais do imenso manguezal encontram inúmeras dificuldades para fazer o percurso nas marés baixas, situação que a cada dia se agrava.

Se realmente é verdade que o aquecimento global elevará a água do mar, encobrindo ilhas e mangues até chegar a terra firme, teremos que nos precaver e tomar todas as medidas cabíveis. Com isso, restabeleceremos nosso meio ambiente e nos livraremos dos anúncios de fim do mundo, ditos repetidamente pelos falsos e agourentos profetas, sem falarmos nos ecochatos.

Mesmo sendo uma pessoa totalmente desinformada sobre um assunto tão essencial para nossa vida, acredito que, pelo menos em Canavieiras, esse problema poderá ser resolvido, haja vista que nossas praias agora têm a gestão municipal e políticas públicas serão elaboradas com essa finalidade. De início, pelo que soube, o aquecimento global será evitado após a edição de um decreto municipal proibindo o uso de churrasqueiras nas praias pelos nossos desavisados banhistas farofeiros.

Esta decisão muito me alegra, pois nos encontramos no caminho certo. Agora vai!

*Radialista, jornalista e advogado.

Publicado originalmente no www.costasulfm.com.br

Ériston é eleito presidente das CDLs do Sul da Bahia

Encontro das CDLs do Sul da Bahia em Ilhéus - Foto DivuldaçãoO presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Canavieiras, Ériston Nascimento, foi eleito o primeiro presidente da Associação das CDLs do Sul da Bahia. A escolha para o cargo foi realizada na manhã desta sexta-feira (17), durante reunião das entidades lojistas no Iate Clube de Ilhéus.

A entidade que representa as CDLs do Sul da Bahia promove mensalmente um encontro em uma das cidades onde estão sediadas as Câmaras de Dirigentes Lojistas para debater e trocar informações sobre o segmento do comércio. Nessas reuniões surgiu a ideia de escolher um presidente para articular e coordenar as discussões e demandas.

Durante o encontro em Ilhéus, os temas abordados foram as campanhas de final de ano, com a finalidade de aquecer as vendas durante o Natal e Ano Novo, consideradas as datas mais significativas para o comércio. “Essa troca de informações é muito importante para o planejamento das promoções”, ressaltou Ériston Nascimento.

Para o presidente da CDL de Ilhéus e anfitrião do encontro, Clóvis Júnior, a troca de experiências permite que cada uma entidade possa promover uma campanha dentro das suas possibilidades, oferecendo mais atrativos aos clientes. “As parcerias que firmamos nos permitiu planejar uma promoção bastante atrativa”, informou Júnior.

Para o presidente da CDL de Coaraci, Danilo Galvão, a criatividade está sendo a marca da campanha de fim de ano em sua cidade, que conta com grande participação dos associados. “Os prêmios estão sendo oferecidos pelos lojistas e estamos inovando com o uso das redes sociais durante a campanha e a realização dos sorteios”, esclareceu Danilo.

Também presente ao encontro, o presidente da CDL de Uruçuca, Marcelo Souza, disse que grandes temas deverão fazer parte dos debates mensais, tanto na área de marketing, compras e em relação às questões tributárias. “Como nossas preocupações são basicamente as mesmas, podemos formular as proposições em conjunto e levá-las às instâncias interessadas”, disse o presidente.

Como a entidade que congrega as CDLs do Sul da Bahia é informal, o presidente Ériston Nascimento frisou que todas as propostas poderão ser objeto de debate junto à Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado da Bahia (FCDL). “Juntos, seremos bem mais fortes nas reivindicações dos nossos pleitos”, concluiu Ériston.

Participaram do encontro Ériston Nascimento, José Batista Gama e Walmir Rosário (CDL de Canavieiras), Clóvis Júnior, Paulo Moreira e Tiago Mota (CDL Ilhéus), Danilo Galvão e Francisco Galvão (CDL de Coaraci), Marcelo Souza e Lavínia Souza (CDL Uruçuca). O próximo encontro está agendado para o dia 19 de janeiro de 2018,na cidade de Coaraci.

CANAVIEIRENSE PARTICIPA DO BRASILEIRO INTERCLUBES DE VÔLEI

Anna Thereza CastroA Canavieirense Anna Thereza Castro, atleta do Clube Desportivo Canes (CDC), representou a Bahia no Campeonato Brasileiro Interclubes (CBI) de Vôlei Feminino Sub-20, jogando pela Equipe do Clube Bahiano de Tênis, realizado em Salvador, no período de 13 a 18 de novembro de 2017. O evento foi organizado pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), em parceria com a Federação Baiana de Vôlei (FBV), por meio do presidente Hércules Pimenta.

O CBI sub-20 feminino teve oito clubes participantes, entre eles Fluminense (RJ), ADC Bradesco (SP), Flamengo (RJ), ABC do Vôlei (SC), Clube Bahiano de Tênis (BA), Botafogo (RJ), Minas Tênis Clube (MG) e Mackenzie Esporte Clube (MG). 

Na final, as meninas do ADC Bradesco (SP) conquistaram o título da primeira edição do Campeonato Brasileiro Interclubes (CBI) sub-20 feminino de vôlei, que na decisão deste sábado (18), o clube paulista reverteu o placar adverso e bateu o Fluminense (RJ) por 3 sets a 2 (18/25, 23/25, 25/14, 25/15 e 15/10). 

Já na disputa do bronze o ABC do Vôlei (SC) superou o Botafogo (RJ) em três sets (25/19, 25/15 e 25/20). 

Na classificação final o Clube Bahiano (BA) terminou na oitava posição.

“Essa foi mais uma oportunidade que aproveitei para melhorar a minha técnica e de representar a Bahia”, diz a Atleta Anna Thereza, que teve sua iniciação no Vôlei através do Projeto Esporte & Ação”. 

“O vôlei é como o amor pra mim: difícil de explicar, há 25 anos desenvolvemos o trabalho sério na comunidade de Canavieiras, através do Projeto Esporte & Ação, coordenado pelo CDC, e agradeço a todos que direta e indiretamente ajudaram por mais essa conquista”, disse o professor de educação física Boinha Freire.

CDL de Canavieiras promove carreata para apresentar campanha

Carreata da CDL - Foto João José Rosário (22)A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Canavieiras realizou na manhã deste sábado (11) uma grande carreata para apresentar aos consumidores a abertura da campanha “Sonho de Natal em Canavieiras – Irresistível! Ganhe três motos e muitos outros prêmios”. A carreata, que saiu da entrada da cidade (BA-001), passando pelas avenidas Assis Gonçalves, Rio Branco, Rua 13 (Octávio Mangabeira), Praça Maçônica, bairros Birindiba, Sócrates Resende, e avenida Osmário Batista, encerrando ao lado da estação Rodoviária, contou com dezenas de carros das empresas participantes da promoção da CDL.

A campanha promocional de Natal e Ano Novo da CDL de Canavieiras sorteará 03 motocicletas de 125cc, 01 refrigerador, 01 fogão de 4 bocas, 01 lavadora, 01 cama box, 01 TV de 32 polegadas e 10 vale-compras, no valor de R$ 200,00, cada, que serão trocados por mercadorias nas lojas participantes. “Comprando no comércio de Canavieiras, os clientes adquirem produtos de qualidade a preços baixos e ainda podem ganhar diversos prêmios”, ressalta o presidente da CDL, Ériston Nascimento.

Já a partir desta segunda-feira (13), os consumidores poderão identificar as lojas participantes da campanha “Sonho de Natal em Canavieiras – Irresistível! Ganhe três motos e muitos outros prêmios”, através dos cartazes da promoção. A cada R$ 30,00 em compras o consumidor receberá um cupom, que preencherá com seu nome e endereço e colocará nas urnas para concorrer aos vários prêmios que serão sorteados no dia 27 de janeiro de 2018.

DEUS EXISTE?

Durval-Filho 12 -Foto-Walmir-Rosário-1Durval Pereira da França Filho*

O dia 31 de outubro de 2017 assinalou a passagem dos 500 anos do segundo grande cisma do cristianismo: a Reforma Protestante. Nesse contexto, percebe-se que o número dos novos evangélicos tem crescido de maneira considerável. Mas também vem crescendo o número de muçulmanos, espíritas, agnósticos e ateus. Em meio a essa migração dentro do cristianismo, ao crescimento do Islã, a despeito do terrorismo, e ao crescimento daqueles sem religião, vai aqui uma pergunta: Deus existe?

Se você acredita que Deus existe, então prove. Não, você não pode provar, como também não pode provar o contrário. No panteão dos sem Deus, os mais evidentes são os ateus e os agnósticos.

Ateu é aquele que nega a existência de Deus, e o termo vem do grego a = não, sem: + Theos = Deus. Os especialistas fazem distinção em alguns tipos de ateus: existencialistas (Jean-Paul Sartre), marxistas (Karl Marx), psicológicos (Sigmund Freud), capitalistas e comportamentalistas (B. F. Skinner). O foco de sua argumentação é a negação.

Agnóstico é o que desconhece os meios para saber se Deus existe, bem como outras realidades metafísicas. O termo também vem do grego a = não + gnoses = conhecimento, ou seja, Deus é incognoscível, não se pode ter certeza se Ele existe ou não. O foco de sua argumentação é a dúvida. Mas, independentemente das classificações, os adeptos do ceticismo são encontrados nos meios de comunicação e, principalmente, nas universidades.

Charles Darwin (1809-1882), naturalista britânico, é um exemplo típico de agnóstico. Através de suas pesquisas e observações sobre a variabilidade das espécies, elaborou a doutrina da evolução por meio de uma seleção natural, como paradigma para explicar a origem da vida, sem evidências da ação divina.

Já Friedrich Nietzsche (1844-1900), alemão de origem judaica e formação luterana, filósofo e filólogo, tem sido considerado “o mais cruel e vigoroso ateu da história”. Dizia que para ele Deus estava morto, pois não conseguia acreditar em “um Deus que quer ser louvado o tempo todo…”. Assim, a sua crença na morte de Deus era subjetiva, na cosmovisão do homem ocidental.

Sigmund Freud (1856-1939), neurologista e psiquiatra austríaco, sempre se considerou ateu, embora de origem e educação judaicas. Para ele, “Deus é uma concepção humana nascida no inconsciente…”, e “a fé em Deus não passa da projeção de fortes desejos e necessidades internas”. Costumava afirmar que não tinha o temor de Deus e que, se algum dia o encontrasse não pretendia se entregar. Mas quase se entregou.

Já o crítico literário britânico C. S. Lewis ou Clive Staples Lewis (1898-1963), também ateu, tinha em Freud a sua inspiração. Na universidade, C. S. Lewis teve certeza de que “religião é coisa para criança”, e as igrejas eram verdadeiras creches para aqueles que não conseguiram crescer e se libertar. Freud morreu de câncer do palato, afirmando ser ateu até o fim dos seus dias, mas sua correspondência está cheia de expressões como “graças a Deus”, “se Deus quiser” e similares. Foi a morte do mestre que levou C. S. Lewis a ser criança de novo e a voltar para a creche, para Deus.

Para Bertrand Russel (1872-1970), filósofo e matemático britânico, ateu, “a religião nasce do medo” e torna as pessoas subservientes e a crença em Deus não conduz à felicidade.

O que pensam os modernos Richard Dawkins (1941), biólogo inglês, e Stephen Hawking (1942), astrofísico e cosmólogo? A fé em Deus é um “absurdo altamente perigoso”, porque a probabilidade de que Deus exista é ínfima (Dawkins). A crença em Deus é incompatível com a ciência (Hawking).

Francis Collins (1950), biólogo e geneticista norte-americano, foi diretor do Projeto Genoma Humano. Ateu convicto até os 27 anos, seguiu na contramão da tendência pós-moderna entre os cientistas: foi na universidade que ele se converteu ao cristianismo. A partir daí, vem discordando das teorias de Daniel Denneth, Richard Dawkins e outros colegas ateus, e afirma categoricamente que “a ciência não exclui Deus”. + LEIA MAIS »

Campanha da CDL de Canavieiras tem início neste sábado com carreata

Sorteio CDL 22A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Canavieiras promove, a partir das 8 horas deste sábado (11) uma grande carreata que percorrerá as principais ruas da cidade. O evento marca o início da campanha “Sonho de Natal em Canavieiras – Irresistível! Ganhe três motos e muitos outros prêmios”.

A promoção da CDL de Canavieiras tem início sábado 11 de novembro e se estenderá até o dia 27 de janeiro de 2018, quando serão sorteados os prêmios. Nesta campanha a CDL sorteará 03 motocicletas de 125cc, 01 refrigerador, 01 fogão de 4 bocas, 01 lavadora, 01 cama box, 01 TV de 3 polegadas e 10 vale-compras, no valor de R$ 200,00, cada.

A campanha promocional de final de ano realizada pela CDL de Canavieiras engloba o Natal e Ano Novo e tem o objetivo de ampliar a circulação de dinheiro no comércio da cidade, aumentando a quantidade de empregos e o desenvolvimento da economia. Podem participar da promoção, lojistas associados ou não à CDL.

Tanto faz jeton como acúmulo de salário – dá tudo no mesmo

Walmir Rosário

A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, foi criticada pela imprensa brasileira por ter requerido o pagamento dos seus salários na União acrescidos dos vencimentos como desembargadora aposentada do Tribunal de Justiça da Bahia. Os dois valores somados chegam à bagatela de R$ 61,4 mil mensais, embora o teto constitucional diga que ela (ou outro servidor público qualquer) somente poderá receber R$ 33,7 mil, o mesmo que um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Como desembargadora, Luislinda ganha R$ 30.471,10, e como ministra os seus vencimentos seriam de apenas R$ 3.292,00, brutos. Nada de mais qualquer pessoa no uso dos seus direitos fazer uma reivindicação que lhe beneficie, já que o direito de pedir está na lei. O problema maior é que a ministra usou de expressões nada republicanas, ou na melhor das hipóteses, politicamente incorretas, o que, convenhamos, não fica bem para a ocupante do primeiro escalão da Presidência da República.

A Dra. Luislinda possui um curriculum exemplar e não merecia estar na berlinda por um motivo simplório como esse. Mas, acredito, acostumada às lides forenses, utilizou da prerrogativa do art. 5º, da Constituição Federal, que dispõe: “a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito”. E assim fez. Mas, convenhamos que não é nada republicano o palavrório utilizado por uma ex-desembargadora, agora justamente ministra dos Direitos Humanos no seu requerimento.

Teria dito a Dra. Luislinda que a ministra ao jornal O Estado de São Paulo, “que é seu direito receber o valor integral para trabalhar como ministra porque o cargo lhe impõe custos como se ‘vestir com dignidade’ e ‘usar maquiagem’”. Pior. Ainda foi dizer que não se arrepende de ter comparado seu caso ao trabalho escravo. “Todo mundo sabe que quem trabalha sem receber é escravo”, teria dito ao jornal paulista.

Como diz o velho ditado, “periquito come milho e papagaio leva a fama”. Podemos, ainda, recorrer a outro ditado, que se transformou em provérbio romano: “À mulher de César não basta ser honesta, tem de parecer honesta”. E a ministra, que nada tem como os maus costumes dos seus colegas políticos, vem amargando a pressão que está sofrendo, apenas por querer fazer valer uma pretensão que para ela seria um direito líquido e certo. Está comendo o pão que o diabo amassou, diriam os mais antigos.

Igual ou maior do que os rendimentos pretendidos pela ministra Luislinda Volois, seus colegas abocanham (vocábulo certo) sem que sofram qualquer ataque sistemático da imprensa nacional. Estou falando dos famosos jetons, artifício criado nos gabinetes ministeriais de Brasília e fartamente utilizados para driblar a legislação, como uma remuneração de mercado a integrantes do primeiro escalão juntos aos conselhos de administração e fiscal de estatais e empresas públicas.

Até hoje é assim que uma boa parte dos ministros turbinam seus rendimentos e com o beneplácito das altas cortes judiciais brasileiras. O tema, considerado inconstitucional por infringir a lei de forma sorrateira, dorme em gaveta esplendida do Supremo Tribunal Federal (STF), à espera de julgamento desde 1996, através da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) de nº 1.485. Como se vê, os ministros continuam recebendo acima do teto constitucional, sem que precisem dissimular o embolso do rico dinheirão.

Dia desses, essa questão também foi objeto de Ação Popular no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que após muitos levas e trás, concluiu que a ação deveria ser suspensa até posterior decisão das suas excelências do Supremo. Na prática, o pagamento de jetons aos ministros de Estado integrantes de conselhos de administração de empresas públicas federais, sociedades de economia mista, sociedades anônimas, subsidiárias integrais e empresas binacionais poderá continuar sendo feito.

Assim é Brasília, assim é o Brasil. Quem faz um requerimento solicitando uma pretensão apanha que só mala velha para tirar a poeira, enquanto os que recebem vultosas somas a título de jeton sequer são molestados, ou pelos menos citados. Não quero acreditar que os jornalistas, por serem especialistas em assuntos gerais, desconheça essa prática corrente usufruída por nossos zelosos ministros. E não são só os desse governo, mas de todos os outros pretéritos, desde o século passado.

Somente a título de lembrança, dia desses escrevi umas mal traçadas linhas “Sou brasileiro, sou solidário!” http://www.ciadanoticia.com.br/v1/2017/09/05/sou-brasileiro-sou-solidario/, sobre as artimanhas e traquinagens abundantes no planalto central, que se espalhou pelos poderes executivo, legislativo e judiciário de vários estados brasileiros. São bolsas para todos os gostos, como o auxílio-paletó, auxílio-moradia, auxílio-moradia (mesmo para os que tenham suas mansões), e por aí afora.

Como dizia com muita propriedade Apparício Fernando de Brinkerhoff Torelly, o famoso Barão de Itararé, “Ou restaure-se a moralidade ou nos locupletemos todos”. Portanto, nada contra ou favor da nossa conterrânea, que nada recebeu de forma travessa, mas a favor de que os que agem na frescura dos gabinetes climatizados de Brasília parem de receber o que é indevido (imoral e ilegal) e ainda devolvam os valores já recebidos. Quanto à imprensa, atuem com 100% de independência.

Radialista, jornalista e advogado.

Publicado originalmente no www.costasulfm.com.br

A decadência das cidades – ou a revolução dos bichos

Walmir Rosário*

Aos poucos, as cidades brasileiras estão ficando mais tristes, feias, frias, desumanas e mais inóspitas para os seus habitantes e os que, por qualquer motivo, as visitam. A cada ano que passa, as cidades perdem as características e o charme que as distinguem uma das outras, mudanças essas que geralmente acontecem para pior.

O termo que costumo utilizar para essa situação é a “brutalização”, que parece ser uma palavra pesada, mas, infelizmente, é a que acredito exprimir a realidade nua e crua, como costumam dizer os comentaristas das editorias de segurança. E é exatamente a insegurança um dos maiores problemas que afligem todos os seus moradores, sem distinção.

Os serviços públicos – cada vez mais excessos – atentam contra a humanização das cidades, e os cidadãos são obrigados a pagar taxas e impostos cada vez mais caros por serviços que não são prestados ou entregues em parte. Entre os exemplos, o saneamento básico (abastecimento de água e esgotos), coleta de lixo, pavimentação de ruas e por aí afora.

Dentre outros serviços concedidos, o transporte coletivo urbano é um dos vilões mais citados nas constantes reclamações dos usuários, que pagam passagens caras e em troca recebem um péssimo serviço. Os horários – quando existem –não são obedecidos, os veículos são de péssima qualidade – geralmente caminhões que recebem carrocerias de ônibus –, antigos e sem manutenção.

A infraestrutura dos serviços da saúde, que deveriam cuidar da vida das pessoas que a cada dia pagam novos e pesados tributos, passam a receber bem menos em troca. Não existem médicos, enfermeiros, equipamentos para exames, medicamentos nas farmácias das redes municipais e as unidades de saúde estão bastante sucateadas.

Se novas edificações públicas são construídas, a população já começa a olhar com desconfiança, pois os prazos para as obras serem entregues não são obedecidos e, em sua maioria, são abandonados pelas construtoras sob a alegação de situação economicamente desfavorável. Enquanto isso, os cidadãos têm que pagar mais tributos para que essas mesmas obras sejam concluídas.

Na educação não é diferente: em alguns lugares a merenda escolar é coisa rara e um simples biscoito, saco de pipoca e refresco passam a ser objetos de desejo de crianças desnutridas. Nem sempre o material didático é entregue no início do período letivo, possui a qualidade desejada ou atende a realidade dos alunos dessas localidades. Não quero nem abordar o uso político deles.

Ora, se a cada ano a União, estados e municípios arrecadam mais, quais os motivos de tanta penúria desses entes federativos? Um deles é a corrupção, já detectada e combatida, embora ainda não em sua plenitude. As mazelas também sofrem com a falta de planejamento e as más administrações, que não priorizam o cidadão, o contribuinte, razão da existência do estado.

Cresce a pobreza, institui-se a miséria, criam-se os programas sociais, oriundos de projetos bonitos, bem elaborados, mas que perdem a eficiência por falta do compromisso dos poderes públicos com sua execução. Carecem de uma porta de saída, para dar dignidade às pessoas que hoje se encontram em situação de situação de risco e vulnerabilidade.

Como a pessoa humana não recebe em troca os serviços a que tem direito pelos tributos que paga, observamos a criminalidade crescente nas áreas urbana e rural das diversas cidades. E aí constatamos um grande paradoxo: as pessoas que já passam por dificuldades financeiras (ou não) passam a criar animais (cachorros, cães, como queiram) para defender suas vidas e propriedades.

Observamos hoje, em cada casa, um número cada vez mais crescente desses animais, o que exige o aumento das despesas domésticas, com a alimentação, cuidados com a saúde, dentre outros mimos. Gastos esses que superam, em muito, as já combalidas finanças dos trabalhadores brasileiros, entre eles os menos favorecidos economicamente.

E a elaboração desse artigo foi fruto de observação do que acontece em várias cidades, desde a cidade baiana de Canavieiras, onde atualmente resido, até outras comunidades do Sul do país, como Joinville, em Santa Catarina. São municípios de características diferentes, mas que passaram a cultivar os mesmos hábitos.

Como costuma dizer o antropólogo e historiados Antônio Risério, as pessoas estão presas em suas próprias casas, hoje fartamente gradeadas (muros, portas e janelas). As grades, utilizadas desde os mais remotos tempos, serviam para aprisionar os malfeitores, hoje tem a serventia de aprisionar as pessoas direitas (de bem) em prédios nos quais a arquitetura não mais privilegia o bem-estar e sim a sensação de segurança.

Mas essas mudanças não foram bem-vistas pelos marginais, que não respeitam o recôndito dos nossos lares, escalando muros, quebrando grades, cortando alarmes, oferecendo veneno para os cachorros. Em Canavieiras, com os muros altos, sequer sabemos o que se passa nas ruas, diferente de Joinville, que continua com os muros baixos, sob a proteção de mais cães ferozes e barulhentos.

 *Radialista, jornalista e advogado

Publicado originalmente no www.costasulfm.com.br

Lojistas definem campanha de Natal e Ano Novo da CDL de Canavieiras

CDL define campanhaOs associados da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Canavieiras definiram todos os detalhes da Campanha “Sonho de Natal em Canavieiras – Irresistível! Ganhe três motos e muitos outros prêmios”. No encontro, realizado na manhã deste sábado (21), no restaurante Pan Costa, ficou decidido que serão sorteadas 03 motocicletas de 125cc, 01 refrigerador, 01 fogão de 4 bocas, 01 lavadora, 01 cama box, 01 TV de 3 polegadas e 10 vale-compras, no valor de R$ 200,00, cada.

A campanha será realizada no período de 11 de novembro próximo a 27 de janeiro de 2018 e será lançada no sábado (11-11), com uma grande carreata que percorrerá as principais ruas da cidade e a apresentação dos prêmios a serem sorteados no dia 27 de janeiro do próximo ano. A cada compra no valor de R$ 30,00, o cliente receberá um cupom, que será preenchido e colocado nas urnas para participar do sorteio.

cartaz CDL Canavieiras1O projeto de marketing para a campanha apresentou três temas diferentes para a escolha dos lojistas, bem como toda a logística da campanha promocional lançada pela entidade. “Essa campanha tem a finalidade de incrementar as vendas no final de ano, incentivando as compras no comércio local, com preços justos e produtos de qualidade, além de oferecer uma grande premiação aos consumidores”, disse o presidente da CDL, Ériston Nascimento.

A campanha promocional de final de ano, que engloba o Natal e Ano Novo, tem o objetivo de ampliar a circulação de dinheiro no comércio de Canavieiras, aumentando a quantidade de empregos e o desenvolvimento da economia. Podem participar da campanha  “Sonho de Natal em Canavieiras – Irresistível! Ganhe três motos e muitos outros prêmios” lojistas associados ou não à CDL.

Informa o presidente Ériston Nascimento, que as lojas participantes da promoção serão identificadas com peças de identificação (banners e cartazes) colocadas à entrada dos estabelecimentos. Uma forte campanha publicitária também será promovida nos meios de comunicação da cidade (rádios, jornais, som volante e alto-falantes). O sorteio dos prêmios, a exemplo de anos anteriores, será realizado na praça Maçônica, com a presença da população.

Professor Durval França é distinguido com o Mérito Educacional FTC 2017

Professores homenageados e seus ex-alunos

Professores homenageados e seus ex-alunos

O professor canavieirense Durval Pereira da França Filho foi homenageado com o troféu “Mérito Educacional FTC 2017, concedido pela Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC) de Itabuna. A solenidade de entrega da honraria foi realizada às 19 horas desta terça-feira (17), na Terceira Via Hall, em Itabuna, com a presença da direção da Rede FTC, que também distinguiu outros 21 professores que contribuíram para o desenvolvimento da região.

Professor Durval e o ex-aluno Naílson

Professor Durval e o ex-aluno Naílson

Ao abrir a solenidade, o diretor de Operações da Rede FTC, Cristiano Lôbo, disse que a iniciativa tem a finalidade de recuperar a história de homens e mulheres que, nas últimas décadas, dedicaram suas vidas a educar gerações. Segundo ele, os professores homenageados são escolhidos por uma comissão organizadora, com observância nas biografias que trazem histórias de superação de desafios no exercício do magistério, trazidas à luz a partir da iniciativa da FTC.

A comissão organizadora concedeu uma homenagem in memorian à educadora Maria Augusta Mangabeira Costa, de amplo conceito em Itabuna. Representando a família, o neto da professora Maria Augusta, o advogado Émerson Mangabeira, ressaltou o grande compromisso de sua avó com a educação e revelou passagens de sua vida como professora, contadas por ex-alunos.

Uma das peculiaridades do troféu Mérito Educacional FTC 2017 é que ele é entregue ao professor homenageado por um ex-aluno, indicado pelo próprio educador, o que torna a homenagem ainda mais emocionante. O professor Durval Pereira da França Filho, por exemplo, recebeu o troféu das mãos de um dos seus ex-alunos, Naílson Marques dos Santos.

Como educador, sempre destacou que o professor tem de demonstrar aos alunos a importância de distinguir informação – saber sobre determinado ato ou fato –, e conhecimento – atividade intelectual que indaga, questiona e estabelece relações entre as informações obtidas, para que possa chegar ao âmago das questões apresentadas.

O professor Durval Filho é diplomado em Estudos Sociais (História) pela Universidade de Santa Cruz (Uesc), pós-graduado em nível de especialização em História Regional e Mestrado em Cultura e Turismo, concluído em 2002, com a dissertação de Mestrado sobre “Belmonte, cultura e turismo: numa (re)visão de Iararana de Sósigenes Costa”. Ele já publicou quatro livros: “Canavieiras e sua História” (1981); “Cem anos de Canavieiras” (1991); “Pelos Caminhos da Fé” (2009); e “Canavieiras – Terra Mater do Cacau”, este em coautoria com Aurélio Schommer (2013).

Relação dos professores homenageados

+ LEIA MAIS »

Tecnologia é boa, mas…

Walmir Rosário*

Confesso que sou aficionado por tecnologia de modo geral, principalmente da informática, teoricamente um arsenal de ferramentas para facilitar a vida do homem moderno. Entretanto, temos que tomar todos os cuidados para não complicarmos nossas vidas com os usos e costume que nós impõem essas modernidades.

Pra começo de conversa, sempre é salutar o uso dessas invenções que nos abastece de informação, que nem sempre são verdadeiras: a tal da internet, conhecida como terra de ninguém. Está tudo lá, de parto de formiga a conserto de aviões em pleno voo, passando pelos filósofos antigos e modernos, diagnósticos de doenças variadas e medicamentos para deixar o leitor tinindo.

Olhe sempre com desconfiança de tanta bondade, pois como diz o velho ditado, quando a esmola é grande o mendigo desconfia. É preciso filtrar todas as informações, o que nem sempre é possível, pois os créditos nem sempre são merecedores de confiança, apesar da beleza do discurso. Engana mais do que propagandista de feira vendendo remédio de raízes para todas as doenças.

E na internet se sabe de tudo, ou melhor, sabem tudo de você. Basta ligar o computador ou smartfone para que apareçam propagandas de produtos que você sonhou comprar. Como fazem isso ainda não sei, mas confesso que funciona e se o cabra tiver a cabeça fraca cai no conto do vigário, melhor dizendo, do internauta.

Dia desses pensei em verificar o preço das passagens aéreas e no dia seguinte recebi uma enxurrada de propostas para voar pelo mundo inteiro aos mais variados preços. Resolvi, então, fazer uma busca para um destino possível de minhas possibilidades, a preços módicos, claro, mas não conseguia. Refiz o roteiro até chegar a bom termo e, contente e satisfeito, emiti as passagens.

Para minha surpresa, no dia seguinte, em todo o site que visitava, olha lá a minha vontade inicial a preços acessíveis, conforme o planejamento inicial. Até que tentei trocar, mas não consegui. Teria que pagar três vezes mais para que meu desejo fosse atendido, mesmo com dois meses de antecedência, tempo que eu pensava que não causaria problemas à companhia aérea.

Diante do impasse, resolvi manter meu roteiro acertado anteriormente, para não causar constrangimentos ao planejamento da empresa dona do avião e nem aos meus parcos recursos. Eu desisti, menos a companhia, que fica me mandando notícias sobre o voo objeto do meu desejo. Fico em dúvida se eles querem facilitar minha vida ou tomar o dinheiro que não tenho.

Agora, constrangido mesmo fiquei numa manhã dessas ao conferir meus e-mails recebidos, pois esperava algumas notícias importantes sobre a chegada de uns livros e outras encomendas. Das empresas que comercializei nem uma linha, porém lá estavam três propostas de medicamentos para aumentar a potencia sexual, dentre outras fantasias delirantes.

Logo eu, que sempre fui uma pessoa recatada e não ando por aí espalhando notícias – verdadeiras ou não – das minhas intimidades, achei muito estranho o que esses vendedores me ofereciam. A mim causou estranheza esse tipo de comércio inovador, mas como esse pessoal do marketing inventam tantas estratégias mercadológicas, busquei no Google quem seria o pai dessa inovação.

Confesso que não encontrei esse Philip Kotler da vida, em compensação, fiquei estarrecido com algumas informações que me chegou aos olhos a respeito do comércio na internet. Enquanto uns chamam esses anunciantes de remédios milagrosos de espertalhões que se utilizam da fraqueza alheia para ganhar dinheiro desonesto, outros dizem que são pessoas de má-fé que usam esse expediente para aplicar golpes financeiros: são os achacadores.

O que me encantou dias desses foram as generosas ofertas de diversos grandes bancos, preocupados com problemas em minha conta e nos cartões de crédito. Com receio que eu ficasse sem dinheiro ou não passasse constrangimentos ao tentar fazer alguma compra com o cartão, pediam com toda a presteza que eu fornecesse as senhas para serem retificadas.

Me senti tão prestigiado que na hora fiquei com raiva de mim mesmo por não lembrar os números e letras das senhas para informar aos zelosos banqueiros, até que me dei conta que não era correntista desses estabelecimentos. Como diz o ditado (olha ele de novo…): um bom pedir faz um bom dar, daí minha preocupação em atendê-los com presteza.

Só depois tomei conhecimento de que essas ofertas todas eram coisas de crackers e hackers indivíduos com habilidades e conhecimento em informática para entrar em programas e computadores. Dizem que a diferença está no uso que fazem na invasão: se é de forma desonesta – crackers; se para obter segurança – hackers.

No meu caso, tive até pena dos caras, que tentavam levar o que eu não possuía. Mesmo assim, aconselho aos colegas internautas que evitem se aventurar nessas terras estranhas, pois podem ser “depenados” caso recursos possuam em suas polpudas contas. Já ia me esquecendo que outras pessoas praticam golpes na internet apenas para roubar a propriedade intelectual.

Esses últimos são mais perigosos.

*Radialista, jornalista e advogado.

Publicado originalmente no www.costasulfm.com.br

CDL de Canavieiras aprova campanha de Natal e Ano Novo

Sonho de Natal em Canavieiras – Irresistível! Ganhe um carro zero-quilômetro, motos e muitos outros prêmios” é o tema da campanha promocional da CDL de Canavieiras para o Natal e Ano Novo. As definições da campanha foram analisadas e aprovadas durante um café da manhã promovido neste sábado (14) pela CDL no restaurante da Pan Costa, com a presença dos associados.

Além das peças publicitárias da campanha, também ficou definido o período da promoção, que será iniciado no próximo dia 4 de novembro se estendendo até o dia 27 de janeiro de 2018, quando serão sorteados os prêmios da promoção. O lançamento da campanha será realizado com uma grande carreata, que percorrerá as principais ruas do centro e dos bairros de Canavieiras.

Uma nova reunião será realizada a manhã do próximo sábado (21), no Restaurante Pan Costa, quando serão ajustados outros detalhes da Campanha, como a parceria da CDL com a Prefeitura, que irá doar R$ 35 mil para a aquisição de um veículo a ser sorteado. O projeto de lei enviado pelo prefeito Dr. Almeida à Câmara Municipal para a autorização da doação deverá ser votada na manhã desta terça-feira (17).

O presidente da CDL de Canavieiras, Ériston Nascimento, aguarda apenas a apreciação do projeto de doação para a campanha, para definir os últimos detalhes. Uma das novidades da promoção será a participação da Prefeitura, que oferecerá os cupons da campanha aos contribuintes no ato do pagamento de taxas e tributos municipais. “Com isso, vamos fazer com que muito mais pessoas possam concorrer com os prêmios sorteados pela CDL”, avaliou Ériston.

Taxa do cheque especial aumenta em agosto
 
A taxa média do cheque especial nos bancos em agosto foi de 13,52% ao mês (a.m.), alta de 0,06 ponto percentual em relação ao mês anterior, segundo pesquisa do Procon de São Paulo. A maior alta foi encontrada no Banco do Brasil
 
LEIA MAIS
 
Artista canavieirense se inspira nas belezas naturais de sua terra
Aos 35 anos, quatro dos quais dedicados à arte, Thiago tem despertado a atenção de turistas e nativos pela simplicidade de seus trabalho, com traços e entalhes precisos, retratando animais do bioma Mata Atlântica.
 
LEIA MAIS
Alto Beco do Fuxico festeja seus 30 anos
 
Saudosismo, amizade, cachaça da boa, cerveja bem gelada, mocofato preparado por Danilo, música de todos os gêneros e para atender todos os gostos. Esse foi o combustível que moveu membros da Confraria do Alto Beco do Fuxico, os acadêmicos da Academia de Letras, Artes, Música, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopia e Etc. (Alambique), além de outros frequentadores do Alto Beco do Fuxico.
 
LEIA MAIS