CIA DA NOTÍCIA

GP Brasil de Kettlebel se destacou pela qualidade e número de atletas

Fábio-Leal, Patrícia Barros e Larissa Mamede, três CMS da Bahia

Fábio-Leal, Patrícia Barros e Larissa Mamede, três CMS da Bahia

Realizado pela primeira vez na Bahia, o World Kettlebell Grand Prix Series, etapa Brasil, foi considerado o maior já realizado na América do Sul pela quantidade de atletas inscritos e pelo alto nível dos competidores. O GP foi realizado sábado (9), no São Salvador Hotéis e Convenções, em Salvador, com a participação de atletas dos vários países e estados brasileiros.

Dentre os destaques Canditade Master of Sport (CMS), Danny Strange, CMS, biathlon 32 kg, 10 min, categoria profissional (Chile); Leonel Mota Ribas, CMS, snatch 28 kg, 10 min (São Paulo); Lindolfo Neto, CMS, biathlon 28 kg, 10 min (São Paulo); Fábio Leal, CMS,snatch 24 kg, 5 min (Bahia); Patrícia Barros, CMS, snatch 16 kg, 10 min (Bahia); Larissa Mamede, CMS, snatch 16 kg, 10 min (Bahia); e Vanessa Crepaldi, CMS, snatch 20 kg e TALC 5 min 16 kg (Santa Catarina)

Para o organizador do GP Brasil, João Rosário, da Brutal SC, o evento contou com a participação do russo Sergei Rachinskii, considerado o atleta supremo do Kettlebell Sport, que competiu pela primeira vez na América Latina. Ele fez 166 repetições de jerk e 200 repetições de snatch com 24 kg. Rachinskii tem 29 anos no esporte e fez parte do time de ouro da Rússia dos anos 90.

Leandro Alves, ouro de Canavieiras

Leandro Alves, ouro de Canavieiras

Também presente pela quarta vez no Brasil o russo Denis Vasilev participou da prova de long cycle com 24 kg e fez uma marca impressionante de 132 repetições em 10 min, uma média de 13 repetições por minuto. “Somente para se ter uma ideia, a maioria dos atletas da categoria de peso dele faz de 80 a 100 repetições”, ressaltou João Rosário.

Dentre os destaques femininos no GP Brasil, a argentina Sabrina Aguilera, vice-campeã mundial, foi a que levantou mais pesado, 2 kettlebell de 24 kg em 41 repetições; Nicole Zaniz, de Santa Catarina, disputou o long cycle com dois kettlebells de 16 kg e fez 65 repetições, maior número de repetições entre as mulheres que levantaram o mesmo peso.

O atleta Yuri Menezes, de Florianópolis (SC), que com apenas 10 anos fez 102 repetições com 8 kg, e mostrou toda a garra e determinação de um vencedor. “A Bahia teve mais de 50% dos inscritos e já é considerado um estado de referência no esporte, apesar do pouco tempo de treinamento”, acentuou o educador físico João Rosário.

Nara Lima, prata para Canavieiras

Nara Lima, prata para Canavieiras

Canavieiras – Os atletas de Canavieiras, no Sul da Bahia, se destacaram pela técnica e resultados, sendo bastante elogiados pelos mais experientes e faturaram três medalhas de ouro e duas de prata. Leandro Alves, Joyce Araújo e Poliana Silva foram medalhistas de ouro, enquanto Jessé Pimenta e Nara Lima, ganharam medalhas de prata.

O que chamou a atenção é que os atletas Jessé Pimenta e Nara Lima praticam com o kettlebell há apenas 4 meses. Já Poliana Silva disputou o snatch 12 kg em 10 min e fez a maior pontuação (192 pontos) entre as mulheres que disputaram a mesma prova com o mesmo peso. “Com o nível dos atletas, esperamos que no próximo ano tenhamos um campeonato com mais e melhores atletas”, concluiu João Rosário.

Leave a Reply

Taxa do cheque especial aumenta em agosto
 
A taxa média do cheque especial nos bancos em agosto foi de 13,52% ao mês (a.m.), alta de 0,06 ponto percentual em relação ao mês anterior, segundo pesquisa do Procon de São Paulo. A maior alta foi encontrada no Banco do Brasil
 
LEIA MAIS
 
Artista canavieirense se inspira nas belezas naturais de sua terra
Aos 35 anos, quatro dos quais dedicados à arte, Thiago tem despertado a atenção de turistas e nativos pela simplicidade de seus trabalho, com traços e entalhes precisos, retratando animais do bioma Mata Atlântica.
 
LEIA MAIS
Alto Beco do Fuxico festeja seus 30 anos
 
Saudosismo, amizade, cachaça da boa, cerveja bem gelada, mocofato preparado por Danilo, música de todos os gêneros e para atender todos os gostos. Esse foi o combustível que moveu membros da Confraria do Alto Beco do Fuxico, os acadêmicos da Academia de Letras, Artes, Música, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopia e Etc. (Alambique), além de outros frequentadores do Alto Beco do Fuxico.
 
LEIA MAIS