CIA DA NOTÍCIA

Posts Tagged ‘festas juninas’

E tudo continua como dantes

Walmir Rosário*

Apesar da tempestade de notícias diárias que aproxima a política da polícia, o Brasil retorna a normalidade após um breve período de festejos juninos, mais forte no Nordeste do que no restante do país. Por essa parte do Brasil, todas as quadrilhas já foram desmontadas, embora o mesmo não poderemos afirmar em relação à capital federal. Faz parte da cultura.

As instituições funcionam – é verdade que não tão bem as de ordem política – e nossa economia dá, mais uma vez, a demonstração que está cada vez mais vigorosa, haja vista os números que vêm sendo apresentados. Como sempre, o setor privado continua a mil maravilhas, embora não se possa dizer o mesmo em relação ao setor público. É uma mazela que persiste.

Se antes nos acostumamos a presenciar as crises “fabricadas” às quintas-feiras em Brasília, agora estamos mergulhadas nela de forma permanente, mas pouco caso fazemos. A expectativa do fim de semana em relação às mazelas que poderiam vir na segunda-feira é coisa do passado. Vivemos hoje no fio da navalha. E pouco ou quase nada ligamos para isso.

Não fosse a Operação Lava Jato, a crise política não seria considerada apenas um desequilíbrio na conjuntura socioeconômica e uma da fases problemáticas de nosso país. Para uns, nem mesmo preocupação causava, pois já estava arraigada nos costumes, como uma cultura do Estado sentida pelo segmento privado. Mas do que uma cultura, um atavismo.

Mas eis que vivemos hoje num mundo diferente, moderno, em que as novas tecnologias nos são apresentadas a cada semana, sem nos causar qualquer surpresa. As redes sociais “andam” a mais de mil por hora, superando a barreira do som, com notícias para todos os gostos, embora seja necessário separar o joio do trigo. Nem sempre tudo que é bom é verdadeiro.

Nunca antes na história desse Brasil varonil nos indignamos tanto e a toda a hora com as denúncias que nos chegam, mas que aprendemos a tolerá-la da forma mais cândida possível. Após as explosões de praxe, relaxamos e chegamos à conclusão que sempre foi assim, mesmo vendo que cada vez mais colarinhos brancos são presos e condenados. São os sinais de mudança dos tempos.

Sempre nos acostumamos a saber que – a grosso modo – uma das diferenças entre a direita e a esquerda vai além das questões básicas que os unem, como o pensamento. Entre os capitalistas, a defesa do capital os reúne de pronto, enquanto outras divergência serão discutidas; já na esquerda, qualquer discordância, por menor que seja, é o caos. Esta talvez seja o ponto básico do comportamento econômico brasileiro.

Os políticos – seja de que ideologia professem – que resolvam seus problemas pendentes com as instituições cabíveis, como Polícia, Ministério Público e Justiça. Os empresários que cuidem da economia, nos moldes permitidos pela legislação e pela ordem mundial, no sentido de gerar divisas e proporcionar o desenvolvimento. Desde os tempos mais remotos, essa tem sido a ordem.

Um dos motivos principais dos nossos problemas econômicos tem sido a má gestão ou a falta de gestão dos recursos públicos, tomados a força dos contribuintes, sem qualquer preocupação. A meta é sempre ter mais dinheiro para gastar e de forma desordenada como vivenciamos nos últimos 517 anos, com nossa concordância. Com a pólvora alheia o tiro é mais forte.

A preocupação primordial é o pagamento do juros aos bancos, o rico bem-estar dos políticos, as benesses aos amigos empreendedores com os recursos do tesouro federal. Já os recursos para implantar a infraestrutura necessária para a produção de riquezas estão cada vez mais escassos; os benefícios sociais são dispendiosos e dependem do aumento de impostos. O planejamento se resume à gastança.

Mas já nos acostumamos com isso tudo e chegamos a acreditar que os desvios de finalidade dos recursos público fazem parte da vida pública e chega a ser uma das prerrogativas dos políticos. Como na nossa legislação o Estado não pode declarar falência, sempre há alguém com um pires na mão em busca de recursos para tapar os rombos. Vale a pena ser perdulário.

Não sei o motivo de me preocupar com essas coisas, pois aprendi que desde o descobrimento do Brasil o fidalgo Pero Vaz de Caminha, escrivão da frota de Pedro Álvares Cabral, já pedia ao rei Dom Manoel sinecuras para seus parentes. E desta forma se fez o Brasil por todos esses séculos em que sempre valeu a pena ser “amigo do rei”.

Talvez seja eu um inconformado. É, devo ser!

*Radialista, jornalista e advogado.

Publicada originalmente no www.costasulfm.com.br

Semana de boas notícias

Walmir Rosário*

Esta semana, felizmente, é de boas notícias. A começar pela vitória de segunda-feira da Seleção Brasileira sobre a Seleção de Camarões. Como dizia o grande jornalista e dramaturgo Nélson Rodrigues, deu para afastar o estigma da síndrome de vira-latas.

Essa vitória pode representar o começo de uma série de jogos por uma Seleção Brasileira convincente, aquela que sempre soube jogar para vencer seus adversários. E é isso que os torcedores pedem. O que, convenhamos, é o trivial.

A vitória sobre o confuso Camarões foi uma confirmação de que não é somente o técnico que entende como montar um time de futebol e traçar suas estratégias. Bastou colocar em campo os jogadores certos, com uma tática convincente. Mesmo contra uma seleção de baixo nível, funcionou…

Se os jogadores se acertaram em campo, fora dele estamos tomando de goleada. Ou melhor, a Fifa nos dá uma goleada de preços absurdos e produtos de baixa qualidade. Contra a Fifa não funcionam os órgãos de vigilância sanitária, os “procons” e as costumeiras fiscalizações. Uma pena!

Mas como não é só de futebol que vivemos, vamos a outra boa notícia. Um agricultor do Mato Grosso do Sul doa parte do grande prêmio que ganhou numa dessas loterias a hospitais. Essa boa ação tinha sido uma promessa feita ao pai, morto por um câncer.

Se no Brasil uma ação deste tipo ainda é novidade e desperta a atenção, em outros países, notadamente nos Estados Unidos, essa é uma prática corriqueira. Aqueles que recebem benefício de alguma instituição devolvem parte dele para que outros também possam usufruir. É o desprendimento.

Com tantas notícias boas acontecendo, só nos restou, também, torcer para que elas continuem durando por muito mais tempo. E isso, cabe apenas a nós mesmos, contribuindo, dando nossa parte de colaboração para que as coisas boas aconteçam com mais frequência.

Me refiro aos festejos juninos, época em que antes se comemorava a amizade, a bonança na agricultura com licor, comidas típicas e muita comida, que representava a fartura. Aos poucos, foram introduzidos novos costumes, esses de uso citadino, desvirtuando a festa. E o caipira virou urbano.

O uso indiscriminado de fogos de artifício é um desses novos componentes dos festejos juninos que vêm dando muitos prejuízos e ceifando vidas a cada ano. A guerra de espadas, muito comum no Recôncavo baiano, é um exemplo negativo desses novos costumes.

Brincar só de forma saudável. A mistura de álcool, fogos e carros é perigosa e precisa de muita cautela. A responsabilidade é de cada um de nós!

*Torcendo por um mar de tranquilidade.

 

PRF faz balanço da operação de são joão

Fogos e "arrebites" foram apreendidos pela PRF

A Superintendência de Polícia Rodoviária Federal na Bahia encerrou à meia noite de segunda-feira (25) a 1ª etapa da Operação Festas Juninas. Nos quatro dias de trabalho realizados durante a festa, foram registrados 170 acidentes, 90 feridos e 11 mortos. Em nove acidentes graves, 11 pessoas perderam suas vidas, sendo quatro em atropelamentos (44,44%), dois em colisões frontais (22,22%), colisão transversal, engavetamento e saída de pista registraram um acidente, cada.

Durante a primeira etapa da Operação Festas Juninas, a PRF fiscalizou 4.652 veículos e 4.015 pessoas, sendo extraídas 1.942 notificações, das quais 476 condutores foram flagrados por ultrapassagens indevidas, 231 por falta do uso do cinto de segurança, 144 flagrados sem CNH ou vencida, 81 por problemas em equipamentos obrigatórios do veículo e 128 condutores de veículos de carga por restrição de trânsito.

No primeiro dia da Operação, a PRF prendeu dois carreteiros que trafegavam nas rodovias BR 242 e 101 portando 210 comprimidos de anfetaminas (usados como rebites) e fogos de artifício.

A primeira prisão ocorreu durante fiscalização no Km 383 da BR 242, trecho do município de Seabra. Ao abordar a carreta com placa de Sergipe, carregada com 14.350 Kg de cenoura, os policiais encontraram no interior do veículo 198 anfetaminas. Dos comprimidos encontrados, 76 foram identificados como “femproporex”, 48 como “sibutramina” e 76 estavam em um recipiente que teve o rótulo da farmácia de manipulação retirado para dificultar a identificação da substância.

Também no dia 22, após várias denúncias, PRFs da Delegacia de Itabuna abordaram no Km 503 da BR 101 o condutor de uma carreta com placa do Rio de Janeiro que, de acordo com os denunciantes estaria jogando bombas de São João por cidades onde passava e numa delas próximo a uma senhora grávida que tomou um grande susto. Ao revistar o veículo, os agentes localizaram várias bombas de diversos tamanhos e uma cartela contendo 12 cápsulas de Desobesi-M.

PRE deflagra “Operação São João”

Policiais militares garantem viagem segura nas estradas

A “Operação São João” da Companhia Independente de Polícia Rodoviária Estadual teve inicio nesta quinta-feira (23), a partir das 8 horas, que se prolongará até as 8 horas da manhã de segunda-feira, (27). O intuito é de proporcionar mais segurança aos usuários de Rodovias Estaduais e reduzir o número de acidentes nas estradas em relação ao ano passado, onde não foi registrado nenhum acidente com vitima fatal.

Em 2010 foram registrados 6 acidentes com vítima de porte leve e 11 sem vítimas. Também foram abordados, 1.308 pessoas, 773 automóveis, 2 ônibus interestadual, 2 municipal, 132 caminhões, 399 motos e 190 autos de infração extraídos. Apenas 4 CNH e 27 CRLV foram recolhidas.

Em seu horário de folga, sob o comando do Major PM Lucas e a supervisão do Capitão PM Robson Farias, policiais militares rodoviários, em escala extraordinária, reforçarão a segurança neste feriadão, além do efetivo ordinário já empregado nos postos ao longo das rodovias.

Os PM desenvolverão ações preventivas de abordagens a veículos e a pessoas, fiscalização de documentos e terão o apoio de 15 viaturas. Para tanto a blitz será intensificada nas cidades de Ilhéus, Itabuna, Ibicuí, Itororó, Porto Seguro, Itanhaém, Medeiros Neto, Prado, Itagibá e Ibirataia, onde acontecerão festas juninas.

Read the rest of this entry »

Taxa do cheque especial aumenta em agosto
 
A taxa média do cheque especial nos bancos em agosto foi de 13,52% ao mês (a.m.), alta de 0,06 ponto percentual em relação ao mês anterior, segundo pesquisa do Procon de São Paulo. A maior alta foi encontrada no Banco do Brasil
 
LEIA MAIS
 
Artista canavieirense se inspira nas belezas naturais de sua terra
Aos 35 anos, quatro dos quais dedicados à arte, Thiago tem despertado a atenção de turistas e nativos pela simplicidade de seus trabalho, com traços e entalhes precisos, retratando animais do bioma Mata Atlântica.
 
LEIA MAIS
Alto Beco do Fuxico festeja seus 30 anos
 
Saudosismo, amizade, cachaça da boa, cerveja bem gelada, mocofato preparado por Danilo, música de todos os gêneros e para atender todos os gostos. Esse foi o combustível que moveu membros da Confraria do Alto Beco do Fuxico, os acadêmicos da Academia de Letras, Artes, Música, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopia e Etc. (Alambique), além de outros frequentadores do Alto Beco do Fuxico.
 
LEIA MAIS