CIA DA NOTÍCIA

Posts Tagged ‘Raimundo Antônio Tedesco’

União e Caridade empossa diretoria e comemora centenário de filiado

Loja União e Caridade empossa diretoria - Foto Divulgação -640x640A Loja Maçônica União e Caridade, de Canavieiras, realizou nesta sexta-feira (14) Sessão Magna para empossar os dirigentes para o biênio 2017/18, eleitos em 24 de maio passado. Lázaro Soares Magnavita assumiu o cargo de Venerável Mestre; José Batista Gama Neves, o de 1º Vigilante; e Fernando Guimarães Vieira, o de 2º Vigilante. Eles substituíram Arenilson Mota Nery, Lázaro Magnavita e Carlos Alberto Guimarães Ramos, respectivamente.

A posse ocorreu no Templo da Loja Maçônica União e Caridade, com a presença de representantes de Lojas Maçônicas de diversas cidades do Sul da Bahia. Também foram empossados Walmir Andrade do Rosário – Orador, José Hilton Melo Lopes – Secretário, Ariedson Santos – Tesoureiro, e Romário Brito de Vasconcelos – Chanceler. Na próxima quarta-feira (21) serão empossados os oficiais.

Após a solenidade de posse no templo da Loja Maçônica, em evento realizado no Clube Recreativo da Loja União e Caridade a atual diretoria foi apresentada aos convidados. Entre as personalidades Maçônicas presentes, o Delegado do Distrito 61, que engloba as Lojas Mahachoan, de Camacan e Romã do Progresso, de Buerarema, Ernande Macedo, o atual Venerável Mestre, Khalil Botelho, e comitiva, o 1º Vigilante da Loja Maçônica Vigilância e Resistência, de Ilhéus, Gustavo Boniares, dentre outras.

Em seguida, as comemorações em homenagem à posse da diretoria da Loja Maçônica União e Caridade e ao centenário de Jonaval Freire, realizadas no Clube Maçônico, contaram com um coquetel e a animação ficou por conta da Banda Armação. Segundo o Venerável Lázaro Magnavita, os eventos foram uma grande confraternização da família maçônica.

Maçom mais antigo comemora Centenário

Aniversário de 100 anos de Jonaval Freire - Foto Divulgação-640x640Logo após a apresentação da nova diretoria no Clube Social Maçônico, foi comemorado o aniversário de 100 anos do Mestre Maçom Jonaval Freire (Vavá), o maçom mais velho da Bahia em atividade, que atualmente ocupa o cargo de Chanceler. Jonaval foi iniciado na Maçonaria em 1965, completando, também 52 anos na Ordem.

Nascido em 14 de julho de 1917, em Monte Cruzeiro, hoje Santa Terezinha/BA., filho de Jhonatas da Silva Freire e Leonor da Conceição Freire, Em 1967, casou-se com Dalva Pereira Freire, de cuja união tem os filhos Boaventura (também Maçom), Rodrigo e Jonaval, e o neto João Henrique, o bisneto Artur.

Também irmão do maçom Rosalvo Freire, (in memorian), Nita e Célia, Vavá exerceu atividades em Canavieiras como agrimensor, avaliador do Banco do Brasil e fiel depositário do Poder Judiciário. Vavá lembrou de sua iniciação, quando era Venerável Mestre Hermes Sobral, e de todos os que passaram pela Ordem durante esses anos.

Ao realizar a homenagem ao seu pai (sanguíneo) e irmão (maçom), Boaventura Freire disse ser impossível impossível descrever a felicidade que ele, outros familiares e os presentes ao poder comemorar os seus 100 anos de vida. “É um orgulho, uma realização e poucos têm o privilégio de ter seu pai ao lado para poder compartilhar essa data tão importante”, ressaltou.

Vejo no senhor um exemplo de fortaleza e resignação. Como somos abençoados por tê-lo conosco por tanto tempo. Ah! Que presente de Deus esse! Continue acreditando, sonhando, nós estaremos sempre ao seu lado, aprendendo sobre a vida e seguindo seus exemplos.

Sabemos que caminhou por estradas tortuosas e muitas provações enfrentou, porém, sempre com muita coragem e com a cabeça em riste, venceu um a um os obstáculos e hoje pode bater no peito e dizer: missão cumprida! Você meu pai é só orgulho para todos nós.

Muitas vezes a vida nos impede de conviver de forma intensa com pessoas maravilhosas como o senhor, mas nem por isso seu colo foi menos acolhedor, seu abraço menos envolvente, sua alegria menos contagiante e seu amor menos fortalecedor”, finalizou

Histórico – Fundada em 27 de dezembro de 1890, a Loja Maçônica União e Caridade é a primeira Loja da República no Brasil e a terceira da Bahia e sua Carta Patente foi assinada pelo Grão Mestre do Grande Oriente do Brasil, Marechal Manuel Deodoro da Fonseca, considerado o “proclamador da República. Este ano completa 127 anos de funcionamento.

Durante todos esses anos a Loja funcionou regularmente e só paralisou suas atividades durante a Segunda Guerra Mundial. Inicialmente filiada ao Grande Oriente do Brasil, a Loja União e Caridade passou para os quadros da Grande Loja Maçônica do Estado da Bahia (GLEB) em 24 de junho de 1954 e onde permanece até hoje.

A primeira Diretoria da Loja União e Caridade era integrada pelos maçons Armando Gentil (Venerável Mestre), Francesco Tedesco (1º Vigilante), Antônio Teixeira Lôbo (2º Vigilante), Bernadino d’Oliveira Pinto (Orador), Augusto Luiz de Carvalho (Secretário), Samuel Benjamim (Chanceler) e Domingos Marques dos Reis (Tesoureiro).

Direção da Loja Maçônica União e Caridade é reconduzida ao cargo

posse na Loja Maçônica União e Caridade - Canavieiras -Foi empossada, quarta-feira (22), a diretoria da Loja Maçônica União e Caridade, em Canavieiras. Toda a diretoria foi reconduzida ao cargo para mais um biênio (2015/17), após ser eleita por unanimidade. No mesmo dia também foi reconduzido ao cargo de Delegado do 8º Distrito Raimundo Antônio Tedesco.

A diretoria da Loja União e Caridade, de Canavieiras, é integrada pelo Venerável Mestre Arenilson Mota Nery, 1º e 2º Vigilantes Lázaro Magnavita e Carlos Alberto Guimarães, Orador – Euvaldo Cardozo Sena, Secretário – Fernando Vieira, Chanceler – Ariedson Santos, e Tesoureiro – José Batista Gama Neves.

Na mesma sessão também foram empossados todos os cargos da oficialidade da Loja. A Sessão Magna de Posse contou com a participação de membros da Loja Maçônica Marracoan, de Camacã.

Fundada em 27 de dezembro de 1890, a União e Caridade é a primeira Loja da República no Brasil e a terceira da Bahia e sua Carta Patente foi assinada pelo Grão Mestre do Grande Oriente do Brasil, Marechal Manuel Deodoro da Fonseca, considerado o “proclamador da República.

Cabeça de robalo – o manjar dos deuses

A iguaria, de origem canavieirense, também é desejada por presidentes da República, governadores de Estado, reis e até por “pobres mortais”

Por Walmir Rosário

Cabeça de Robalo elaborada pelo Restaurante Alegria de Viver

Cabeça de Robalo elaborada pelo Restaurante Alegria de Viver, o prato tradicional da gastronomia de Canavieiras

Os deuses gostam de dendê, tanto isso é verdade que um dos pratos mais desejados da riquíssima gastronomia canavieirense é a “cabeça de robalo”. Disto não se tem qualquer dúvida. A incerteza de quem ainda não foi apresentado a esse manjar dos deuses é apenas em relação à matéria-prima, pois os pobres mortais que ainda não tiveram o prazer de degustá-lo não concebem, à primeira vista – ou audição – de como os deuses poderiam apreciar uma parte do peixe cheia de ossos e espinhas.

À primeira vista da iguaria, desfaz-se a incerteza com a imagem, saliva-se a boca, aguça-se o paladar, despertando o primeiro dos sete pecados capitais: a gula. Pessoas de gosto refinado e alto conhecimento gastronômico contam que é impossível de controlar os instintos. Chegam ao ponto de afirmar o ato de comer cabeça de robalo, está longe ser ser um pecado capital, e é, sim, uma virtude, pondo por terra a teoria desenvolvida pelo Papa Gregório Magno no século VI.

E têm razão os nobres defensores desta tese. Pra início de conversa, a cabeça de robalo é um prato exclusivo da gastronomia canavieirense, onde os manguezais são considerados os maiores e mais ricos do Brasil, dada a sua diversidade. Não é por acaso que o caranguejo – Ucides cordato – de Canavieiras é tido e havido como o mais gostoso crustáceo de toda a costa brasileira.

E as virtudes gastronômicas da cabeça de robalo ultrapassaram as fronteiras de Canavieiras e Costa do Cacau, chegando a Salvador, Brasília, outros estados e até países. Passou pelas cozinhas e chegou aos salões de banquetes de palácios republicanos e conquistou – definitivamente – a realeza. Por dois anos seguidos o Rei e a Rainha da Suécia, Carlos XVI Gustavo e Sílvia vieram desfrutar do verão de Canavieiras, onde o Rei praticou a pesca do marlim e o casal se deliciou de algumas vezes com a iguaria.

Hoje deitada em berço esplêndido, a cabeça de robalo nasceu em casa tosca, como relata Edelzuita Maria Santana, que aprendeu a preparar esse prato com sua mãe. Aos poucos, a cabeça de robalo deixava de ser apenas um prato inusitado para ganhar status de prazer culinário. Do modesto bar e restaurante “Fundo de Quintal”, ganhou o mundo.

Dona Edelzuíta foi a criadora do prato mais famoso de Canavieiras

Dona Edelzuíta foi a criadora do prato mais famoso de Canavieiras

Nas histórias contadas pelo historiador Antônio Tolentino (Tolé), era muito comum eles levarem os colegas do Banco do Brasil para comer a novidade e eles comerem tudo e ainda perguntarem “Quando é que vem essa cabeça de robalo, pois já comemos toda a entrada?”. Para eles isso era motivo de constantes brincadeiras e que ganhava o mundo.

O Raimundo Antônio Tedesco, conta em suas reminiscências, que quando a cabeça de robalo se tornou amplamente conhecida, tentaram até mudar o seu nome para top less, numa alusão à moda criada na Inglaterra em que as mulheres ficam com os seios à mostra na praia. “Mas esse nome não pegou e o que prevaleceu mesmo foi cabeça de robalo.

Surfando na onda do marketing concebido pelo prefeito de Canavieiras à época (e atual), Almir Melo, que cunhou o slogan “Canavieiras para todos, Canes para os íntimos”, a cabeça de robalo também ganhou rápida ascensão. Em um Carnaval, Almir Melo encomendou 600 cabeças de robalo, que foram consumidas vorazmente, para o desespero dos convidados.

O prefeito Almir Melo é muito “cobrado” pelas autoridades, a exemplo de Jaques Wagner e até mesmo do ex-presidente Lula (recentemente em Salvador) quando se encontra com eles. Em Feira de Santana, durante a entrega de caminhões e máquinas aos municípios baianos, até a presidenta Dilma manifestou sua predileção pela iguaria, quando foi informada pelo governador:

É ele o prefeito de Canavieiras que nos manda a cabeça de robalo!”, disse Wagner.

E assim a presidenta Dilma deu uma pequena pausa na cerimônia para manifestar seu desejo em voltar a receber uma boa remessa de cabeça de robalo. Na alta corte de Brasília, aliás, faz tempo em que os presidentes se deliciavam com a novidade canavieirense, levada, pelo que dizem, por político Antônio Carlos Magalhães.

Matérias foram elaborados e publicadas nos veículos de comunicação, para o desespero de dona Edelzuita, que não aguentava mais para atender a tantas encomendas. “Almir foi o grande incentivador e divulgador da cabeça de robalo e já cheguei a ir a Salvador, convidada por um dos políticos mais famosos da Bahia, para preparar na festa de casamento. “Foi sucesso absoluto”.

Com o aumento das encomendas – que teria de despachar, inclusive por via aérea –, aos poucos, ela foi passando o conhecimento para outras pessoas e atualmente algumas pessoas se destacam no preparo da cabeça de robalo. Uma delas é Conceição de Oliveira, que diz ser o melhor caranguejo para a cabeça de robalo o catado de dezembro a agosto, principalmente nos meses em que não têm a letra “r” no nome.

Segundo Conceição, é preciso observar a melhor época para preparar a cabeça de robalo, respeitando, inclusive o período do “defeso”. Nesta época, diz ela, somos muito cobradas pelos clientes, mas não podemos transgredir a lei e nem vender um produto que não seja de qualidade.

Gostoso de comer, trabalhoso de fazer. Assim é a cabeça de robalo. Mas é a lei da oferta e da procura, pregada pela economia. No caso de cabeça de robalo, não se economiza atenção na hora de lavar e escovar bem a carapaça, quebrar as pernas e “catar” (tirar a “carne” das patas do caranguejo). Abra a carapaça com uma faquinha e retire tudo que tem dentro, inclusive o fel; tempere as “carnes” até o tempero murchar e recoloque no lugar.

Os temperos são: coentro e cheiro verde, tomate, cebola, pimentão, pimenta-de-cheiro, camarão, biri-biri, leite de coco e dendê. Leve a panela ao fogo, vá colocando o dendê e o leite de coco aos poucos. Deixe cozinhar como moqueca, e com o caldo faça um pirão. Depois é só servir com pirão e arroz branco. Mas, em vez de tentar prepará-lo, se torna mais fácil comprá-lo (congelado) numa das tantas especialistas canavieirenses, ou pronto no Restaurante Alegria de Viver, por exemplo, e desfrutá-lo, à beira-mar. É mais garantido.

E desta maneira, pode usar e abusar dos pecados capitais, a exemplo da luxúria, deixando-se dominar pelas paixões; a preguiça, após comer à vontade; a vaidade, pelo orgulho de ter comido bem … e muito…. Quanto à inveja, deixe que os outros que não provarão possam ter por você. Com certeza, lhe darão razão no futuro.

Loja União e Caridade inicia dois novos maçons

foto

Ariedson Santos, Raimundo Tedesco, Lázaro Magnavita, José Clóvis, Arenislson Mota, César Costa e Carlos Alberto

A Loja Maçônica União e Caridade, de Canavieiras, realizou neste sábado (9), sessão magna para iniciar dois novos maçons. A cerimônia contou com a presença do representante do Grão Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado da Bahia, Jair Tércio Cunha Costa, o Delegado Distrital Raimundo Antônio Tedesco, e maçons de outras Lojas da região.

Na cerimônia presidida pelo Venerável Mestre da Loja União e Caridade, Arenilson Mota Nery, foram iniciados aprendizes-maçons Cesar Silva Costa e José Clóvis do Nascimento. Durante a sessão magna foram recebidas as famílias dos maçons, inclusive as esposas dos iniciados, que receberam buquês de flores, como parte do simbolismo.

A Loja Maçônica União e Caridade é uma das mais antigas da Bahia e foi fundada em 27 de dezembro de 1890. A Loja União e Caridade tem como Venerável Mestre – Arenilson Mota, 1º Vigilante – Lázaro Magnavita, 2º Vigilante – Carlos Alberto Guimarães, Orador – Euvaldo Sena, Secretário – Fernando Cesar Guimarães, Chanceler – Ariedson Silva Santos, e Tesoureiro – José Batista. O Delegado Distrital é Raimundo Antônio Tedesco.

VEJA OUTRAS FOTOS DO EVENTO

Taxa do cheque especial aumenta em agosto
 
A taxa média do cheque especial nos bancos em agosto foi de 13,52% ao mês (a.m.), alta de 0,06 ponto percentual em relação ao mês anterior, segundo pesquisa do Procon de São Paulo. A maior alta foi encontrada no Banco do Brasil
 
LEIA MAIS
 
Artista canavieirense se inspira nas belezas naturais de sua terra
Aos 35 anos, quatro dos quais dedicados à arte, Thiago tem despertado a atenção de turistas e nativos pela simplicidade de seus trabalho, com traços e entalhes precisos, retratando animais do bioma Mata Atlântica.
 
LEIA MAIS
Alto Beco do Fuxico festeja seus 30 anos
 
Saudosismo, amizade, cachaça da boa, cerveja bem gelada, mocofato preparado por Danilo, música de todos os gêneros e para atender todos os gostos. Esse foi o combustível que moveu membros da Confraria do Alto Beco do Fuxico, os acadêmicos da Academia de Letras, Artes, Música, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopia e Etc. (Alambique), além de outros frequentadores do Alto Beco do Fuxico.
 
LEIA MAIS